Fermentação Alcoólica de Quiquera de Arroz Enzimaticamente Hidrolisada

Wilma Aparecida Spinosa, Vitório dos Santos Júnior, Diego Galvan, Lucas Caldeirão, Marli Busanello, Raul J. H. Castro Gomez
2015 Anais do V Simpósio de Bioquímica e Biotecnologia   unpublished
Introdução: A quirera de arroz é um coproduto rico em amido obtido do polimento dos grãos de arroz e consiste de grãos defeituosos e quebrados. A quirera é utilizada para produção de ração animal, sobretudo de aves. O objetivo deste trabalho foi avaliar a fermentação alcoólica de xarope de quirera de arroz hidrolisado enzimaticamente por alfa-amilase e amiloglicosidase. Métodos: A liquefação (alfa-amilase) foi realizada a 89 ºC, 0.21% (m/m) de enzima por 22 minutos. A sacarificação
more » ... icação (amiloglicosidase) ocorreu a 60 °C com 2,4% de enzima por 24 horas. O xarope obtido continha 51% de dextrose equivalente, este xarope foi diluído para 15 ºBrix, esterilizado em autoclave e inoculado 10 7 células/mL de Saccharomyces cerevisiae. A determinação de açúcares redutores se deu por Somogyi-Nelson e de etanol por densimetria em densímetro digital. Resultados: A concentração de açúcares redutores no mosto fermentativo foi 164 g/L e pH 2,67. A concentração máxima de etanol foi 62,08 g/L e ocorreu após 22 horas de fermentação, o que representou uma produtividade de 2,845 g/L/h. O rendimento em etanol de sobre os açúcares totais (Y 1 ) foi de 74,94% e sobre os açúcares consumidos (Y 2 ) foi 91,71%. Conclusões: A quirera de arroz hidrolisada apresentou alto potencial para a produção de etanol, conferindo uma alternativa para a utilização deste coproduto do beneficiamento de arroz. Agências de Fomento: Capes. Palavras-chave: Fermentação alcoólica, Quirera de arroz, Valorização de coprodutos.
doi:10.5151/biochem-vsimbbtec-22168 fatcat:i7l5tny32bhp5b3efy2vujah2m