Maturação esquelética e aptidão física em crianças e adolescentes madeirenses

D. L. Freitas, J. A. Maia, G. P. Beunen, J. A. Lefevre, A. L. Claessens, A. T. Marques, A. L. Rodrigues, C. A. Silva, M. T. Crespo, M. A. Thomis, R. M. Philippaerts
2003 Portugese Journal of Sport Sciences / Revista Portuguesa de Ciências do Desporto  
RESUMO O objectivo principal deste estudo longitudinal misto é demonstrar diferenças nos níveis de aptidão física entre grupos de maturação esquelética distintos em crianças e adolescentes da Região Autónoma da Madeira. Uma amostra representativa de 507 alunos de ambos os sexos com 8, 10, 12, 14 e 16 anos foi observada em intervalos anuais por um período de três anos. Diversas componentes da aptidão física foram observadas através da bateria de testes Eurofit. A maturação esquelética foi
more » ... uelética foi avaliada usando o sistema Tanner-Whitehouse Mark II. A ANOVA e o teste Tukey foram usados para verificar o significado estatístico das diferenças observadas. Os resultados deste estudo mostram que (1) os rapazes e raparigas de maturação avançada são mais fortes do que os seus colegas de maturação normal e atrasada. Isto é provavelmente explicado pelo maior tamanho corporal e massa muscular dos jovens de maturação avançada; (2) não foram observadas diferenças entre grupos de maturação para os testes batimento em placas e shuttle run; (3) para as raparigas, a ausência de diferenças com significado estatístico também se aplica ao sit and reach, salto em comprimento sem corrida preparatória, sit ups e corrida/andar de 12 minutos; (4) os rapazes (10-11 anos) e as raparigas (7-9 e 10-11 anos) de maturação atrasada são mais proficientes do que os jovens de maturação normal e avançada no tempo de suspensão com os braços flectidos. Mais uma vez, o maior peso corporal do grupo avançado, exercendo uma influência negativa na performance deste teste, pode explicar parcialmente esta associação negativa. Aos 14-15 anos o sentido das relações inverte-se, e os rapazes de maturação avançada apresentam melhores resultados do que os rapazes de maturação normal e atrasada. Nestas idades, o maior aumento em força que acompanha a adolescência masculina compensa o aumento em massa corporal; (5) os rapazes e raparigas do grupo atrasado alcançaram melhores resultados do que os de maturação avançada para o equilíbrio flamingo. Palavras-chave: Maturação biológica, aptidão física. ABSTRACT Skeletal maturity and physical fitness of children and youth from the Autonomous Region of Madeira. The general aim of this mixed longitudinal study is to demonstrate differences in fitness levels between contrasting skeletal maturity groups for children and youth from the Autonomous Region of Madeira. A representative sample of 507 students of both sexes aged 8, 10, 12, 14 and 16 years has been observed at annual intervals for a period of three years. Several fitness components were observed by means of the Eurofit test battery. Skeletal maturity was assessed using the Tanner-Whitehouse Mark II system. ANOVA and the post-hoc Tukey tests were used to verify the statistical significance of the observed differences. The results of this study show that (1) boys and girls who mature earlier are stronger than their average and late-maturing peers. This is probably partly explained by the bigger body size and muscular mass of the early-maturing youngsters; (2) no differences between maturity groups were observed for plate tapping and shuttle run tests; (3) for girls the absence of statistical significant differences also applies for sit and reach, standing broad jump, sit ups and 12-minute run/walk; (4) boys (10-11 years of age) and girls (7-9 and 10-11 years of age) who mature later are more proficient than early-and average-maturing youngsters for bent arm hang. Again, the higher body mass of early matures, exerting a negative influence in the performance of this test, can partly explain this negative association. At the age of 14-15 the direction of the relationship changes, and early-maturing boys show better results than average-and late-maturing boys. At these age levels, the larger increase in strength that accompanies male adolescence compensates the higher body mass; (5) boys and girls who mature late achieved better results than early ones for flamingo balance.
doi:10.5628/rpcd.03.01.61 fatcat:m2svwxbsl5aifnd6mx44ntbipu