Magnitude da mortalidade por câncer do colo do útero na Região Nordeste do Brasil e fatores socioeconômicos

Carmen Justina Gamarra, Joaquim Gonçalves Valente, Gulnar Azevedo e Silva
2010 Revista Panamericana de Salud Pública  
Objetivo. Analisar a tendência temporal da mortalidade por câncer do colo do útero segundo dados de óbito corrigidos ou não e verificar a associação entre essas informações e indicadores socioeconômicos selecionados em mulheres com 20 anos ou mais residentes no Nordeste do Brasil (capital e interior) no período de 1996 a 2005. Métodos. Foram incluídos no estudo os óbitos por câncer do colo do útero captados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) e aqueles identificados como sendo
more » ... ados como sendo decorrentes dessa neoplasia após processo de correção. Através de regressão linear simples, foram analisadas as tendências temporais da mortalidade e as correlações com os indicadores socioeconômicos selecionados através de correlação de Pearson (r). Resultados. As maiores taxas de mortalidade por câncer do colo do útero sem correção corresponderam às capitais e as menores foram observados no interior dos estados. Por outro lado, os maiores coeficientes de mortalidade corrigidos foram observados para o interior dos estados e os menores para as capitais, invertendo o quadro. Da mesma forma, as menores taxas de mortalidade sem correção foram observadas nos estados com maior pobreza, analfabetismo, fecundidade e mortalidade infantil, enquanto as maiores taxas de mortalidade sem correção foram observadas nas regiões com melhores indicadores sociais. As taxas corrigidas mostraram associação negativa com os indicadores que assinalam melhores condições de vida, e positiva com os indicadores que descrevem piores condições de vida. Conclusões. A utilização de dados não corrigidos de mortalidade pode levar à subestimação do câncer do colo de útero e comprometer as interpretações de análises comparativas sobre a magnitude, distribuição e fatores associados a essa doença. A magnitude desse câncer merece ser reavaliada, pelo menos no Nordeste do Brasil. Contudo, os resultados demonstram que já há resultados positivos da detecção precoce na região. Neoplasias do colo uterino; mortalidade; fatores socioeconômicos; Brasil. RESUMO O câncer do colo do útero (CCU) é uma causa de morte evitável quando diagnosticado e tratado precocemente. Diferente de outros tipos de neoplasias, o CCU apresenta um longo período de evolução, com lesões precursoras que podem ser detectadas em fase inicial, o que lhe confere um dos mais altos potenciais de prevenção e cura entre todos os tipos de câncer (1). Apesar disso, no contexto mundial, o CCU representa, entre as mulheres, a segunda neoplasia com maior incidência e a terceira causa de morte entre as neoplasias (precedida pelo câncer de mama e de pulmão), com taxas de 16,2 e 9,0 por 100 000 mulheres, respectivamente, em 2002 (2). Isso se traduz num importante problema de saúde pública, especialmente nas regiões menos desenvolvidas, as quais concentram Palavras-chave Investigación original / Original research Gamarra CJ, Valente JG, Azevedo e Silva G. Magnitude da mortalidade por câncer do colo do útero na Região Nordeste do Brasil e fatores socioeconômicos. Rev Panam Salud Publica. 2010;28(2):100-6.
doi:10.1590/s1020-49892010000800005 pmid:20963276 fatcat:ixwrycikwrftrodnulvsxosiei