DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS?

Vanessa Lopes Lourenço HANES
2017 Belas Infiéis  
Nos últimos anos as políticas tradutórias brasileiras têm se transformado, permitindo, aos poucos, maior pluralidade na maneira como os dialetos da língua inglesa são abordados na tradução literária. Entretanto, este leque de opções mais amplo traz consigo maior carga de responsabilidade para o tradutor e maiores consequências na repercussão do produto traduzido. O objetivo deste estudo-piloto é, através de três obras literárias em língua inglesa (Twelve years a slave, The red badge of courage
more » ... d badge of courage e Gone with the wind) traduzidas recentemente no Brasil (com os títulos Doze anos de escravidão, O emblema vermelho da coragem e E o vento levou), demonstrar como, por vezes, as soluções tradutórias encontradas têm sido diferenciadas para dialetos norte-americanos negros e brancos, elevando o discurso dos brancos ao utilizar o português brasileiro segundo a norma culta, e representando os falares negros através de traços dialetais brasileiros. Desse modo, essas opções tradutórias encobrem a alteridade dos brancos falantes de dialetos da cultura de partida, enquanto se mantém a raramente bem-vinda associação entre negritude e subalternidade.
doi:10.26512/belasinfieis.v6.n2.2017.11456 fatcat:cfuxh2zhendn3cr7lk2hd25xgu