A Revolução Francesa segundo Kant

Aylton Barbieri Durão, Javier García
2017 Conjectura filosofia e educação  
Resumo: Na filosofia política e do Direito, Kant nega taxativamente o direito de resistência do súdito e considera que o próprio soberano deve promover as reformas necessárias na constituição defeituosa. Isso contrasta com a sua apologia à Revolução Francesa na história filosófica. Mas essa aparente contradição se dissolve tão logo se compreende que Kant compreendeu a Revolução Francesa como uma reforma constitucional empreendida involuntariamente pelo próprio rei Luís XVI que transferiu a
more » ... ania aos representantes do povo ao convocar os Estados Gerais, os quais não tinham a obrigação de restituí-la ao soberano anterior, mas se declararam em Assembleia Nacional com vistas a organizar a constituição republicana, a única conforme a vontade unificada do povo. Palavras-chave: Kant. Revolução Francesa. Constituição republicana. Direito de resistência. Esclarecimento. Abstract: In politics and Law philosophy, Kant categorically denies the subject of the right of revolution and believes that the sovereign himself should promote the necessary reforms in the defective constitution. This contrasts with his apology to the French Revolution in philosophical history.
doi:10.18226/21784612.v22.n1.10 fatcat:xa2gq6oo5jci3jv35zq2hofs3a