Reinado de horror: tortura na Amazônia durante o ciclo da borracha

Leopoldo M. BERNUCCI
2013 Muiraquitã. Revista de letras e humanidade  
RESUMO Este trabalho examina a prática da tortura no oeste da Amazônia, no período 1900-1920, em áreas que cobrem atualmente os territórios do Peru, Colômbia e Brasil. Um dos métodos mais comuns de tortura foi a flagelação, prática que ali foi empregada não só para punir, mas também intimidar e escravizar os ameríndios que ocupavam, principalmente, as zonas entre os rios Putumayo/Içá e Caquetá/Japurá. Discutem-se aqui o contexto socioeconômico e a época do ciclo da borracha em que essa prática
more » ... m que essa prática cruel e sádica se tornou frequente e sofisticada quanto aos vários métodos de castigo e extermínio. As principais ações criminais envolvendo a tortura ocorreram durante a época do monopólio da Peruvian Amazon Rubber Company, firma responsável pelo comércio da extração, do fabrico e da venda da borracha no mercado internacional. O presente ensaio explora os aspectos culturais e históricos da flagelação, como método que também tem sido empregado em ritos de passagem em muitas comunidades indígenas. Por fim, este ensaio problematiza um possível ponto de convergência entre as duas práticas de flagelação, uma com intenção punitiva e a outra com finalidade ritualística. PALAVRAS-CHAVE: Tortura. Amazônia. Indígenas. Then Peruvian Amazon Rubber Company. Ciclo da Borracha Em um ensaio já bastante conhecido, "Cultura do Terror -Espaço da Morte. O Relatório sobre o Putumayo de Roger Casement e a Explicação da Tortura", o antropólogo australiano Michael Taussig faz a seguinte observação: Apesar de o grau de crueldade ser imenso e inquestionável, a maior parte das provas desse tipo de crime chega até nós somente através de narrativas. Para um historiador rigoroso isso seria um desafio, já que ele teria que separar o que é verdadeiro daquilo que foi exagerado ou atenuado (TAUSSIG, 1984, p. 482). 1 É moeda corrente e talvez universal admitir que, no sistema le-1 Todas as traduções do inglês e do espanhol de obras aqui citadas são minhas.
doi:10.29327/210932.2.1-10 fatcat:omcjw2x4jjehtdfvseap2iiflu