O realismo como desafio [chapter]

Eduardo Tudella
2017 A luz na gênese do espetáculo  
Todo o conteúdo deste trabalho, exceto quando houver ressalva, é publicado sob a licença Creative Commons Atribição 4.0. Todo el contenido de esta obra, excepto donde se indique lo contrario, está bajo licencia de la licencia Creative Commons Reconocimento 4.0. O realismo como desafio Eduardo Tudella | 373 O R E A L I S MO COMO D E S A F I O Ao se referir às manifestações teatrais reconhecidas como rea listas na segunda metade do século XIX, o historiador Oscar Gross Brockett (1995, p. 383,
more » ... (1995, p. 383, tradução nossa) acentua uma abordagem referendada por muitos outros: "[...] montagens que procuravam representar ações observadas cientificamente, em espaços físicos que demonstravam a interdependência entre personagem e ambiente [...]". 1 Considerando tal assertiva é possível ponderar que a aplicação da luz em um espetáculo realista deveria representar alto grau de dificuldade técnica, uma vez que envolvia a abordagem científica das relações entre o ser humano e seu espaço. Do artista que desejasse alcançar com a luz a artificialização capaz de levar o espectador a acreditar na realidade da cena seria exigida grande familiaridade com a convenção realista, que deveria implicar no domínio dos aspectos científicos do problema. Ainda assim, a luz para o realismo é, por vezes, interpretada de modo generalizado e superficial, resultando em
doi:10.7476/9788523218584.0013 fatcat:nzej3p5b45dzvbpdodxxflb7b4