Indicadores e fatores de risco da cárie dentária em crianças no Brasil – Uma revisão de literatura

Lenita Marangoni Lopes, Fabiana Lima Vazquez, Antônio Carlos Pereira, Dayse Andrade Romão
2014 Revista da Faculdade de Odontologia (Universidade de Passo Fundo)  
Introdução A cárie é considerada um problema de saúde pública devido à sua característica generalizada, ao custo do tratamento e aos efeitos sobre a qualidade de vida da população 1 . Apesar do seu declínio nas últimas décadas, os níveis elevados da doença ainda têm sido identificados em uma minoria de sujeitos, os chamados indivíduos de alto risco-cárie 2,3 . Narvai et al. 4 (2006) ao analisarem a evolução da experiência de cárie entre escolares brasileiros no período de 1980 a 2003,
more » ... 0 a 2003, verificaram através do índice dentes cariados, perdidos ou obturados de (CPOD) que houve um declínio da cárie no período avaliado. Entretanto, foram verificadas diferenças significativas entre as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste e as regiões Sudeste e Sul. Adicionalmente, os autores desse estudo relatam que a distribuição da cárie está ocorrendo em níveis de desigualdade, cerca de 60% da doença concentram-se em 20% da população de escolares. Observa-se a presença de um grupo populacional de alto risco 5,6 . Dados mais recentes, do SB Brasil 2010, mostram que, aos cinco anos de idade, uma criança brasileira possui CPO médio de 2,43. Comparando-se esse valor com o obtido no SB Brasil 2003, que foi de 2,8, observa-se que houve uma redução de apenas 13,9% em sete anos. Comparando os resultados Atualmente, a prevalência de cárie dentária encontra-se localizada em uma parcela da população, o que caracteriza sua polarização. A identificação desses grupos de risco permite que medidas preventivas, tanto comunitárias quanto individuais, sejam voltadas aos indivíduos desses grupos, resultando num uso mais eficiente dos recursos. Objetivo: este estudo objetiva verificar os fatores e preditores do risco da cárie estudados no Brasil, através de uma revisão da literatura. Materiais e método: Realizou-se uma busca na base de dados PUBMED utilizando-se os termos dental caries, risk indicators, e Brazil, unidas pelo operador boleano AND, da qual limitou-se para estudos publicados de 2000 até 2012. Um total de 14 artigos longitudinais e transversais foram incluídos nessa revisão e os fatores e preditores de risco investigados, tanto na dentição decídua quanto na permanente, foram divididos em componentes biológicos, comportamentais e socioeconômicos. Resultados: assim, foi possível observar que a cárie está associada a diferentes fatores e preditores de riscos e os mais consolidados são: experiência passada de cárie, defeitos de esmalte, biofilme dental, dieta, escolaridade da mãe e renda. Considerações finais: os fatores e preditores de risco estudados são diversos, e sua identificação é de fundamental relevância para o desenvolvimento de estratégias direcionadas no intuito de diminuir a incidência e a prevalência da cárie. Palavras-chave: Cárie dentária. Epidemiologia. Prevalência. Incidência. Fatores de risco.
doi:10.5335/rfo.v19i2.3455 fatcat:xmpoezbwnfgenjqcwyxaictuf4