Correspondência e poesia: apontamentos sobre criação, interação e disseminação da arte

Lígia Dabul
2016 Revista Maracanan  
REVISTAMARACANAN Resumo: A ideia deste artigo é refletir sobre alguns aspectos da criação artística que se dão na correspondência escrita por poetas. Nossa questão consiste em saber de que modo podemos relacionar processos criativos em arte com interações sociais estabelecidas por artistas, neste caso, as efetuadas por meio da troca de cartas. Focar as interações sociais para compreender processos criativos permite trazer para a análise o caráter coletivo e o comunicativo desses processos e,
more » ... ses processos e, assim, descrever algumas dimensões da alteridade atribuídas a eles. Ao tratarmos dessas interações em prática social tão extensiva -a troca de cartas -, baseada em material e conduto de comunicação ordinário -a escrita -, também reconhecemos e sondamos mecanismos de criação nem excepcionais nem exclusivos dos artistas. Esses procedimentos nos levam a sondar a relevância das interações sociais para a invenção artística e o quanto artistas criam para além do que fixam em seus objetos consagrados e por meio de práticas sociais disseminadas que, talvez por isso, não costumamos considerar tão facilmente como propiciadoras da criação em arte. Palavras-chave: Arte; Criação; Artista; Interação; Correspondência. Abstract: This paper considers some aspects of artistic creation within letters written by poets. We consider the possibility of establishing a relationship between creative processes in art and artists' social interaction, especially within mail exchange. Making use of social interaction as means to understanding creative processes allows us to bring into analysis the collective and communicative aspects of these processes, and therefore, also entitles us to describe some dimensions of the distinction attributed to them. When we deal with these interactions in such an extensive social practice -sending and receiving letters -, based on a material and an ordinary way of communication -the writing -, we also identify and explore ways of creation that are neither exceptional nor exclusive to poets. Those procedures lead us to explore how relevant is social interaction to artistic invention, how much artists create beyond what they fix in their consecrated objects and what they do by means of common social practices which, maybe for being so, are not usually considered as triggers for creating art.
doi:10.12957/revmar.2016.20862 fatcat:kdclte7rnjgmvbgze7b7cfik7e