Universidade, saber, sociedade e religião

Joaquim Cerqueira Gonçalves
2019
Universidade, saber, sociedade e religião Saber e sociedade Tem-se confundido quase sempre o saber com a escola, como se apenas esta pudesse ser, de facto e de direito, alfobre e forja da ciência. É certo que a escola foi e continua a ser a instituição referencial do saber, escamoteando, todavia, devido às suas características de nascença e à sua duradoura permanência nas malhas da cultura ocidental, não somente a importância de outras fontes, reais e possíveis, de ciência, como também a
more » ... omo também a pertinência e o valor de saberes que não são praticados na escola. Associa-se, além disso, frequentemente, saber e escola, para acentuar que esta vive em função daquele, donde seria legítimo concluir que as transformações da escola estão condicionadas pela evolução e pelas alterações do quadro científico. Há, porém, na habitual leitura da articulação saber-escola, equívocos e ingénuas ilusões, sobre os quais repousa a indevida ideia de um saber puro, transparente, asséptico, autónomo, de indiscutível valor intrínseco, indiferente a quaisquer outros factores culturais. Mas nem a escola é a mansão do saber, menos ainda a única, nem este constitui, porventura, o factor mais determinante da escola. Aliás, a habitual censura dirigida à instituição escolar, particularmente à de grau superior, pela sua incapacidade de se auto-reformar, sanciona esta interpretação. A escola, na configuração que tem revestido na cultura ocidental, desde gregos e romanos, foi criada para constituir e organizar a sociedade, melhor dito, para constituir uma cidade viável, xxxiii (2003) didaskalia 403-417
doi:10.34632/didaskalia.2003.1593 fatcat:yxfszer5ofezdpo64mkqgkas2u