MENTALIDADE GLOBAL E RH INTERNACIONAL EM EMPRESAS MULTINACIONAIS BRASILEIRAS DO SEGMENTO DE CONSTRUÇÃO PESADA

Arnaldo José França Mazzei Nogueira, Maria Simone Prates Barreto
2013 REGE Revista de Gestão  
RESUMO O objetivo central deste trabalho foi pesquisar a mentalidade global e as políticas de recursos humanos internacionais em duas empresas brasileiras do segmento da construção pesada. As perguntas que orientaram a pesquisa foram: o que determina a mentalidade global e como sustentá-la? As multinacionais brasileiras reconhecem a mentalidade global como fator estratégico para o negócio e adotam políticas de recursos humanos para desenvolvê-la? Qual é a visão dos gestores sobre estes
more » ... ? O artigo examina os referenciais teóricos mais importantes sobre a mentalidade global e os processos de recursos humanos internacionais; a seguir, são explicitados os procedimentos metodológicos da pesquisa, que incide sobre duas empresas, selecionadas a partir do ranking das transnacionais brasileiras realizado pela Fundação Dom Cabral. Os resultados do estudo revelaram que, apesar de as empresas em foco possuírem grande experiência de atuação global, não adotavam políticas de recursos humanos internacionais consistentes que facilitassem o desenvolvimento e a manutenção da mentalidade global de seus gestores. A análise comparativa dos depoimentos apontou que os gestores das duas empresas posicionavam-se em estágios diferentes em termos de mentalidade global: na Camargo Corrêa, a orientação etnocêntrica; na Norberto Odebrecht, a orientação regiocêntrica ou policêntrica. Embora as conclusões deste trabalho não possam ser generalizadas, por se tratar de estudos de casos, suas maiores contribuições são serem derivadas de um estudo original da mentalidade global dos gestores brasileiros e a descoberta do papel ainda incipiente das políticas de recursos humanos internacionais no desenvolvimento dessa mentalidade global. ABSTRACT The main goal of this work was to study the global mindset and international human resources policies in two Brazilian heavy construction companies. The questions that guided the research were: what determines global mindset and how to sustain it? Do Brazilian multinationals recognize the global mindset as a strategic factor for business and adopt human resource policies to develop it? What is the managers' vision about these processes? The article examines the most important theoretical references on the global mindset and international human resources processes; then, we explicit methodological procedures of the research, which focuses on two companies, selected from the Brazilian transnational ranking conducted by Fundação Dom Cabral. The results of the study revealed that, although the examined companies have great experience in global operations, they did not adopt consistent international human resources policies that could facilitate the development and maintenance of global mindset of its directors. The comparative analysis of the testimonies pointed out that the managers of the two companies were at different stages in terms of global mindset: at Camargo Corrêa, ethnocentric orientation predominates; at Norberto Odebrecht, regiocentric or polycentric orientation predominates. Although the findings of this study cannot be generalized, since it is a case study, their greater contributions are derived from an original study of Brazilian managers' global mindset, and the discovery of still incipient role of international human resource policies in the development of this global mindset.
doi:10.5700/rege511 fatcat:p6vxl5dcfzbt5brdct4ilqlylu