A entoação e a propaganda

Sérgio Henrique De Souza, Almeida
unpublished
RESUMO: Nosso objetivo neste artigo é, a partir das contribuições de Mikhail Bakhtin e do Círculo, promover o reconhecimento de que, no processo de interação entre o ouvinte e o falante, o conceito bakhtiniano de entoação (valores conferidos e/ou agregados ao dito pelo locutor) é compreendido e compartilhado por seu interlocutor; e destacar qual sua relevância na construção de sentidos nos discursos nos quais aparece. Essa investigação está inserida no Projeto de Pesquisa "Relendo Bakhtin:
more » ... ibuições do Círculo de Bakhtin para uma análise dialógica de discursos produzidos em diferentes esferas da atividade humana" do grupo de pesquisa Relendo Bakhtin (REBAK/UFMT). PALAVRAS-CHAVE: Entoação. Interação. Sentidos. 1. Introdução Nosso objetivo neste artigo é, a partir das contribuições de Mikhail Bakhtin e do Círculo, promover o reconhecimento de que, no processo de interação entre o ouvinte e o falante, o conceito bakhtiniano de entoação (valores conferidos e/ou agregados ao dito pelo locutor) é compreendido e compartilhado por seu interlocutor; e destacar qual sua relevância na construção de sentidos nos discursos nos quais aparece. Para este artigo, defendemos que se a palavra, enquanto materialidade linguística, é o "corpo" da língua, a entoação expressiva é a "corrente elétrica" que corre por este corpo, dando-lhe o dom da vida exatamente nos contextos em que as palavras são empregadas. A propaganda, compreendida como discurso social, acumula valores sociais e, consequentemente, carrega entoações decorrentes dos diálogos vivos entre interlocutores, funcionando como signo ideológico de uma classe social e elegendo-se como gênero privilegiado para a prática de escuta e leitura de textos numa perspectiva pedagógica de formação cidadã, como rezam os PCN (1998).
fatcat:2gvevi7iyfdobjkbvnf4d2oogm