SONHO, MITO E ESCRITURA EM ANA HATHERLY

Claudio Daniel
2009 Revista Desassossego  
RESUMO: Ana Hatherly é um dos nomes mais expressivos da poesia experimental portuguesa da década de 1960. Em Anacrusa, a autora trabalha criativamente com as formas narrativas e códigos de imaginário do sonho e do mito, relacionando-os com as poéticas de vanguarda e com a linguagem do cinema (que se aproxima da estrutura do sonho, por exemplo, nos avanços e recuos temporais, nos closes, cortes de montagem e seqüências, como se o olho fosse a câmera e a mente um espaço para a edição e exibição
more » ... edição e exibição de imagens). ABSTRACT: Ana Hatherly is one of the most significant names of the 1960's experimental poetry in Portuguese. In Anacrusa the author creatively works out narrative forms and imaginary codes of dreams and myths in relation to the vanguard poetry and the motion picture language (which is very close to the structures of dreams, for instance, in the use of time moving backwards and forwards, close ups, cut ups and montages in such a sequence as if the eyes were the camera and mind a place for editing and screening images).
doi:10.11606/issn.2175-3180.v1i1p26-38 fatcat:vzqu2twpofaczewfxcya42sg7i