Efeito da melatonina sobre a morfofisiologia cardíaca de ratos induzidos a hiperlipidemia

Fernanda Amorim Ferreira, Isabella Maria Rios Paraíba, Laíse de Souza Elias
2020 Panorama brasileiro de tungstênio (w) entre os anos de 2008 e 2014  
As hiperlipidemias são classificadas como alterações metabólicas e estão relacionadas com doenças cardiovasculares, as quais se destacam a doença aterosclerótica coronariana. As doenças cardiovasculares têm notável participação nas taxas de mortalidade a nível mundial e em virtude disso, vem sendo alvo de pesquisas que buscam inovação terapêutica. A melatonina é um hormônio produzido em fase de escuridão ambiental pela glândula pineal que desempenha função antioxidante, hipolipemiante,
more » ... amatória, entre outras, demonstrando assim, ser uma potente molécula no tratamento de doenças cardiovasculares. Assim, o objetivo deste trabalho consiste em avaliar o efeito da melatonina sobre o estresse oxidativo e parâmetros bioquímicos em ratos induzidos à hiperlipidemia. Para isso, foram utilizados 15 ratos albinos (Rattus norvegicus albinus) machos, com 150 dias de idade, procedentes do biotério do departamento de Morfologia e Fisiologia Animal da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Esses animais foram mantidos em gaiolas, com alimentação e água ad libitum, temperatura de 22° C e iluminação artificial que estabelecerá um fotoperíodo de 12 horas claro e 12 horas escuro (ciclo invertido). Em conclusão, estudos demonstraram que a melatonina tem efeitos na redução da peroxidação lipídica, níveis de creatina quinase (CK) bem como na diminuição da glutationa reduzida. Como uma droga barata e bem tolerada, a melatonina pode ser uma nova opção terapêutica para doenças cardiovasculares e indivíduos com hiperlipidemia.
doi:10.32749/nucleodoconhecimento.com.br/nutricao/efeito-da-melatonina fatcat:uxb6x3xvtvc7xjrb35yxwbvby4