Plataforma alternativa e flexível para o KIT NAT brasileiro

Antonio Ferreira, Elisabete Andrade, Daniele Rocha, Marcela Fontana, Marisa Ribero, Elaine Motta, Patrícia Alvarez
2014 Anais do II Seminário Anual Científico e Tecnológico em Imunobiológicos: vacinas, biofármacos, reativos para diagnóstico e outros temas   unpublished
Introdução: O kit NAT HIV/HCV Brasileiro produzido por Bio-Manguinhos foi desenvolvido para atender altas capacidades de processamento. A abertura de pool de amostras e o processamento de pequenas rotinas significam um considerável custo no processamento no formato atual do NAT. O estabelecimento de uma Plataforma NAT de equipamentos focado no processamento de poucas amostras 12-30 reações, permitirá um melhor aproveitamento das rotinas e economia de recursos, permitindo o atendimento de
more » ... endimento de potenciais serviços com pequenas demandas que estejam alinhadas com a estratégia de descentralização de ensaios NAT, na Hemorede Brasileira. Objetivo: O objetivo do Flex NAT é definir e padronizar um modelo alternativo de produto/Kit NAT, processado numa plataforma de equipamentos flexível, contemplando os requisitos técnicos e operacionais definidos pela Hemorede Brasileira, com custo viável. Com um considerável nível de nacionalização dos insumos e, se possível, agregando processos de TT. Esta proposta de novo produto, baseia-se em um ensaio discriminatório, independente, com sensibilidade, especificidade, reprodutibilidade e rastreabilidade, comparáveis com o Kit NAT HIV/HCV já desenvolvido por Bio-Manguinhos. Metodologia : Foram identificadas alternativas de sistemas de extração de ácidos nucléicos, equipamentos/ insumos, baseados em beads magnéticos: Prepito/Chemagen (Perkin Elmer), EZ1 (QIAGEN) e Nimbus/ Biopur (Biometrix). A comparação desses sistemas de extração teve como parâmetro o MDx (QIAGEN), equipamento da plataforma NAT. Visando melhor sensibilidade/especificidade/reprodutibilidade quando comparado com o equipamento MDx os protocolos de extração de ácidos nucléicos foram ajustados. Os ajustes realizados incluíram: alterações dos volumes de amostra, eluição, partícula magnética, concentração de protease, tempos de lise e de secagem das beads magnéticas, entre outros. Foram utilizadas amostras HIV e HCV verdadeiras positivas, com cargas virais conhecidas. Resultados: Os resultados, após comparação com MDx, demostraram que o equipamento Nimbus/Biopur, apresentou ganho de sensibilidade, cerca de 2 Cts, para amostras HIV/HCV na concentração de 500 cópias/mL ou UI/mL, respectivamente. O equipamento EZ1 apresentou resultados de sensibilidade pouco satisfatórios. O
doi:10.35259/isi.sact.2014_28707 fatcat:nmd3w2o22bdsjfmantehaum3k4