AN AIS do 31º Congresso Brasi leiro de Espeleologia

Ecologia Populacional De Aranhas Troglófilas Trechona Sp. (mygalomorphae, Dipluridae) Na Gruta Monte Cristo, Diamantina, Minas Gerais Population Ecology Of Spider Troglophyles Trechona Sp
unpublished
Resumo A Gruta Monte Cristo (18° 17.822'S 43° 33.511'W) é uma formação quartzítica de aproximadamente 200 metros de desenvolvimento linear e com duas entradas. Foram encontradas diversas aranhas da espécie Trechona sp., fato bastante incomum em outras cavernas. O presente trabalho visa estudar essa população sob os aspectos da abundância de indivíduos, distribuição espacial dentro da caverna e ritmo de atividade. Foram realizadas 13 visitas mensais (de janeiro de 2010 a maio de 2011), quando
more » ... os os abrigos encontrados com indivíduos foram marcados com fita adesiva e numerados. As aranhas foram marcadas com tinta atóxica Acrilex na carapaça, com diferentes combinações de cores, permitindo a individualização das mesmas. Para o estudo dos ritmos de atividade, a caverna foi dividida em três regiões-entrada principal (fótica), salão principal e segunda entrada (afóticas)-e todos os abrigos de cada região foram checados a cada meia hora, no período do entardecer e amanhecer. Verificou-se se as aranhas estavam forrageando (quando encontrada na entrada do abrigo) ou em repouso (quando não encontrada no abrigo). Foram anotadas a temperatura e umidade de cada uma das três regiões da caverna, a cada meia hora. Até maio de 2011 foram marcados 100 indivíduos, constituindo o maior registro de caranguejeiras em cavernas, sendo 50 na entrada principal, 24 no salão principal, e 26 na segunda entrada. As aranhas da zona fótica apresentaram o ritmo de atividade (forrageio/repouso) similar aos indivíduos que vivem fora de cavernas, que forrageiam durante a noite e repousam durante o dia. As aranhas da zona afótica permaneceram todo o tempo em atividade. Essa diferença não está relacionada com temperatura e umidade, pois esses fatores abióticos não variam nas diferentes regiões da caverna. A diferença na quantidade de luz deve ser o fator que dita os diferentes ritmos de atividade observados. Esse trabalho terá continuidade até dezembro de 2011, quando pretende-se obter resultados mais precisos em relação aos fatores que influenciam no ritmo de atividade dessas aranhas cavernícolas. Palavras-Chave: Ciclo circadiano, aranhas, migalomorpha, cavernas, ecologia. Abstract The Cave Monte Cristo (18° 17.822'S 43° 33.511'W) is a quartzite formation of approximately 200m of length with two distinct entrances. Several specimens of the mygalomorph spider Trechona sp. were found in different parts of the cave. The presence of dense populations of mygalomorph spiders in caves is quite uncommon, and restricted to a few records in the literature. This work aims at studying this population and present data on the abundance of individuals, spatial distribution inside the cave and activity rhythm. We have done monthly visits in the cave during the period of January 2010 and May 2011, when all retreats found were marked with tape and numbered. The spiders were color marked with non-toxic acrylic ink on the carapace, making it possible to distinct among individuals. To study activity rhythm, the cave was separated in three regions: photic, twilight and aphotic zones. Every half hour, at dawn and at dusk, the marked retreats were checked for the activity of the spider: foraging when found at the sheet web and not-foraging when deep inside the retreat, usually not visible. Temperature and humidity were also observed in the three zones every half hour. During the study, 100 spiders were marked, representing the largest mygalomorph troglophyle population. Fifty individuals were at the photic zone, 24 at the twilight zone and 26 at the aphotic zone. The individuals that dwell the photic zone present the activity rhythm similar to spiders at the epigeous environment, those of which forage during the night and rest at daylight. The spiders
fatcat:iljx7cp6gngklg22asn4n5veju