Circulação extracorpórea por membrana (ECMO) em recém-nascido com insuficiência respiratória por síndrome de aspiração meconial: efeitos da administração de surfactante exógeno

João Gilberto Maksoud-Filho, Edna Maria Albuquerque Diniz, Maria Esther J. Ceccon, Ana Lúcia S. Galvani, Maria D'Andrea A. B. Chamelian, Maria Lúcia de Pinho, Flávio Adolfo C. Vaz
2001 Jornal de Pediatria  
Resumo Objetivos: apresentar a evolução clínica de recém-nascido portador de insuficiência respiratória grave neonatal secundária à sindrome de aspiração meconial tratado por circulação extracorpórea por membrana, ou, conforme o termo consagrado em língua inglesa, ECMO (Extracorporeal Membrane Oxygenation), o efeito do uso de surfactante exógeno neste caso e os custos do procedimento. Método: descrição de um caso de síndrome de aspiração meconial, tratado na UCINE (Unidade de Cuidados
more » ... Cuidados Intensivos Neonatais) do Instituto da Criança Prof. Pedro de Alcantara, Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo. Resultados: o suporte extracorpóreo teve a duração de 5 dias, sem complicações clínicas ou mecânicas. Surfactante exógeno de origem porcina foi administrado no 4 o dia, após o quê observamos uma melhora significativa na complacência pulmonar. O recém-nascido pôde então ser rapidamente decanulado. Os custos do tratamento foram compatíveis com a realidade nacional em relação a um recém-nascido criticamente enfermo. Conclusões: a ECMO é indicada em casos de insuficiência respiratória neonatal que não respondam a outros tratamentos existentes. Deve ser disponível em Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) neonatais de hospitais terciários e ser empregada conforme critérios bem estabelecidos. A utilização de surfactante exógeno aparentemente antecipou a retirada da ECMO e, portanto, deve ser considerada em casos semelhantes. Os custos do tratamento justificam a organização de Equipes de ECMO nessas UTIs. J Pediatr (Rio J) 2001; 77 (3): 243-8: aspiração de mecônio, insuficiência respiratória, recém-nascido, surfactantes pulmonares, circulação extracorpórea. Abstract Objectives: to present the clinical outcome of a newborn with severe respiratory distress secondary to meconium aspiration syndrome and treated by extracorporeal membrane oxygenation (ECMO); and to present the effect of the use of exogenous surfactant in this case and the cost of the procedure. Methods: case report of a newborn with meconium aspiration syndrome and treated at the neonatal ICU of the Instituto da Criança Prof. Pedro de Alcantara, Hospital das Clínicas of the Universidade de São Paulo. Results: ECMO was carried out for 5 days with no clinical or mechanical complications. On the 4 th day of ECMO, we administered porcine exogenous surfactant; a significant improvement in lung compliance was observed and the newborn was decannulated shortly after that. Treatment costs were compatible with the situation of healthcare in Brazil for treatment of critically ill newborn patients. Conclusions: ECMO is indicated in cases of neonatal respiratory distress not responding to other treatments. The technique should be made available in neonatal Intensive Care Units (ICUs) of tertiary hospitals according to well-established protocols. The use of exogenous surfactant apparently allowed for earlier decannulation of the patient and should be considered in similar cases. The treatment costs do justify the organizing of ECMO teams in this type of ICUs. J Pediatr (Rio J) 2001; 77 (3): 243-8: meconium aspiration, respiratory failure, infant, newborn, pulmonary surfactants, extracorporeal circulation, Circulação extracorpórea por membrana (ECMO) em recém-nascido com insuficiência respiratória por síndrome de aspiração meconial: efeitos da administração de surfactante exógeno Extracorporeal membrane oxygenation (ECMO) in a neonate with respiratory distress due to meconium aspiration syndrome: Effect of the administration of exogenous surfactant
doi:10.1590/s0021-75572001000300016 fatcat:wdusxk6vl5eofnf6aeeolc332m