Violence and vulnerability of the Community Health Worker in the territory: implications for tackling COVID-19
Violência e vulnerabilidade no território do agente comunitário de saúde: implicações no enfrentamento da COVID-19

Anya Pimentel Gomes Fernandes Vieira-Meyer, Ana Patrícia Pereira Morais, Isabella Lima Barbosa Campelo, José Maria Ximenes Guimarães
2020 Ciência & Saúde Coletiva  
Objetivou-se averiguar a relação da COVID-19 com variáveis de vulnerabilidade social em Fortaleza e verificar a influência da violência no trabalho do ACS e suas implicações no enfrentamento da COVID-19. Dados quantitativos primários (e.g., questionários com ACS) e secundários (e.g., IDH, homicídio, analfabetismo, cobertura do Programa Bolsa Família [PBF] e da Estratégia Saúde da Família [ESF]) foram utilizados. Observou-se relação da COVID-19 com indicadores de vulnerabilidade social, onde os
more » ... de social, onde os casos têm relação negativa com IDH e analfabetismo; e os óbitos relação positiva com taxa de homicídios e cobertura do PBF. Regiões com altas taxas de óbito por COVID-19 e vulnerabilidade social possuem maior cobertura da ESF e menor realização de visita domiciliar pelo ACS. A atuação deste, no enfrentamento da pandemia, é limitada pela violência do território. A plena atuação do ACS, no enfrentamento da COVID-19, é dependente de políticas intersetoriais. Assim, a construção de uma política de enfrentamento da COVID-19, com participação do ACS, precisa levar em consideração, além de seu adequado treinamento na prevenção e detecção de COVID-19, ações intersetoriais para o enfrentamento e prevenção da violência no território.
doi:10.1590/1413-81232021262.29922020 pmid:33605342 fatcat:i5vpb5ckfvfn7ftw75aji4hwda