Apresentação

Kátia Rodrigues Paranhos, Adalberto Paranhos
2017 ArtCultura  
5 Apresentação "Como o chinês e a bicicleta/ como Cartola e Dona Zica/ como a paisagem e o cartão-postal/ como Romeu e Julieta/ catupiri com goiabada/ como quem fica junto no final" 1 , história e literatura passaram a habitar, já há algum tempo, casas geminadas ou de paredes conjugadas. Nem sempre, no entanto, ambas se deram as mãos. como que cultivando um relacionamento pouco amistoso, os terrenos ocupados por elas chegaram a ser demarcados e separados por estacas firmes, barrando o livre
more » ... sito entre esses dois domínios. hoje os ventos que sopram daqui e dali varreram, felizmente, muitos preconceitos. Sem ignorar as especificidades da História e da Literatura, os historiadores, no que nos diz respeito, selaram uma convivência entre elas em regime de comunhão. É o que atesta o primeiro dossiê publicado neste número da ArtCultura, organizado por alexandre de Sá avelar, integrante do nosso conselho editorial, professor dos cursos de graduação e pós-graduação em história da Universidade federal de Uberlândia (UfU) e pesquisador do cNPq. como quem colhe, em boa hora, o fruto maduro de seu pós-doutorado recentemente realizado em Paris, na École de hautes Études en Sciences Sociales (EhESS), ele percebeu que explorar o veio que estreita as relações entre os campos da produção histórica e literária seria algo promissor. Por essa via, convocou dois experts na matéria radicados na frança e se valeu de contribuições de destacados historiadores destas bandas. Como "navegar é preciso" -lembrando antiga frase de navegadores imortalizada de vez pelo poeta fernando Pessoa -, este é um imperativo que se coloca ao pensarmos em não atrelar a reflexão histórica simplesmente aos limites de um país. Expandindo o olhar e disposto a cruzar a imaginária ponte atlântica que une (quando não opõe) Brasil e Portugal, o segundo dossiê desta edição revolve essas águas. Sob a organização de Jean Luiz Neves abreu, também componente da editoria da ArtCultura, professor dos cursos de graduação e pós-graduação em história da UfU, soou o toque de recolher textos que convergissem para a análise de diferentes aspectos da cultura luso-brasileira. Pesquisadores d'aquém e d'além mar direcionaram, então, seus trabalhos para a compreensão de enlaces e desenlaces culturais associados a tal temática. Para tanto, contou, igualmente, a experiência adquirida pelo organizador do dossiê ao entrecruzar esses dois mundos. Afinal, não é aceitável uma História com vistas demasiadamente curtas. Na sequência, a seção Artigos reúne três historiadores que incursionam pela história da violência, pelas relações entre o Quinteto armorial e a modernidade brasileira e pelas diferenciadas tônicas da produção da MPB e do BRock ao longo de duas décadas. A música popular, mais especificamente o rock, é o foco de outro texto acolhido em Primeira mão, que se volta para um livro no prelo que envereda pela história recente de Brasil e Portugal. Já o acorde final da ArtCultura 35 é dado por uma resenha de uma pesquisadora cujo doutorado, da mesma forma como seu pós-doutorado em andamento, elegeu como alvo a canção popular de outros cantos do continente americano. No cômputo geral desta edição, alegra-nos constatar, novamente, a
doaj:29e3d5b22ece40228b17dcc7dfce2316 fatcat:ahmv2oeey5g3petoddimrrt7py