Hannah Arendt e Walter Benjamin: Eros da amizade e afinidades eletivas em tempos sombrios

Maria Francisca Pinheiro Coelho
2020 Sociedade e Estado  
Resumo Quando se faz referências às relações entre Hannah Arendt (1906-1975) e Walter Benjamin (1892-1940) a menção sempre lembrada é a da amizade. Nas homenagens prestadas à Hannah Arendt por ocasião de sua morte, o filósofo Hans Jonas - amigo de Arendt desde o tempo que foram colegas na universidade em Marburg e alunos de Heidegger - destacou sua vocação para a amizade. Segundo ele, o que a movia era o Eros da amizade (Eros der Freundschaft). No círculo dos amigos mais próximos, incluía-se
more » ... imos, incluía-se Walter Benjamin, com quem convivera no exílio em Paris entre os anos 1936 e 1940. E a amizade como pensada e cultivada na prática pelos dois pensadores situava-se no centro de suas vidas, como laço afetivo e visão de mundo. Este paper aborda a relação entre Arendt e Benjamin em dois âmbitos: a amizade, construída na situação de filósofos judeus-alemães refugiados em Paris, e as afinidades eletivas na concepção da história e da modernidade.
doi:10.1590/s0102-6992-202035030007 fatcat:sj4irm4qv5al7gblp4z3iph7ji