Vivências dos licenciandos em Química no Estágio: aproximações do campo de atuação

Sidilene Aquino De Farias, Henrique Ferreira
unpublished
Palavras-Chave: Estágio Curricular, Formação Inicial, Química. RESUMO: O presente estudo teve por objetivo investigar como as atividades vivenciadas nas disciplinas relacionadas ao componente curricular Estágio tem contribuído na formação inicial de professores de Química a partir da percepção dos licenciandos. Para tanto, os dados foram coletados em 12 Cursos de Licenciatura em Química de Instituições de Ensino Superior públicas, localizadas em cinco Estados da Região Norte. Participaram da
more » ... quisa 36 licenciandos formandos e/ou da primeira turma por meio de entrevista semiestruturada. Os resultados foram organizados para análise mediante a metodologia de Análise do Conteúdo. Foi observado um total de onze categorias de atividades mencionadas pelos sujeitos da pesquisa. As mais frequentes nos relatos dos licenciandos foram observação de aulas e elaboração e execução de aulas teóricas e práticas. Também foram mencionadas, em poucos cursos, atividades que abordam aspectos para além da atividade docente em sala aula, como reflexão acerca do ambiente escolar. INTRODUÇÃO As mudanças, introduzidas pela legislação educacional brasileira, relacionadas ao Estágio Curricular nos Cursos de Licenciatura atribuem o mínimo de 400 h a serem vivenciadas no campo de atuação. Essa atividade, nos cursos de formação inicial de professores, é uma das exigências legais com espaço e tempo curricular expressos claramente na legislação. Além disso, as determinações e orientações oficiais destacam esse espaço no currículo como um momento que possibilita vivenciar a união entre teoria e prática (BRASIL, 1996, 2001 e 2002). De acordo com o art. 1º da Lei 11.788/2008 (BRASIL, 2008, p.1), o "[...] estágio é um ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de educandos que estejam freqüentando o ensino regular em instituições de ensino superior [...]". Dessa maneira, o estágio pode ser compreendido como espaço em que o futuro professor irá conhecer o campo de atuação, proporcionando aproximação da realidade escolar e possibilitando vivências que possam contribuir na construção da identidade docente, desde que as atividades planejadas e concretizadas sejam devidamente orientadas pela instituição formadora e a parte concedente, a escola. Para tanto, faz-se necessária aproximação das Instituições de Ensino Superior (IES) e escola para além dos convênios firmados, sendo estabelecidas parcerias entre professores em exercício, professores formadores e licenciandos. Tal aproximação possibilita o diálogo entre a prática educativa vivenciada nos contextos escolares e o quadro teórico de análise, ou seja, integração entre teoria e prática (PIMENTA, 2010). Segundo Carvalho (2001), a formação de professores precisa desenvolver atividades de estágio direcionadas a uma análise crítica da escola e de seu ambiente, com isso, a
fatcat:cukzmey4ybgj3lz2d4po3c7bfa