Geotecnologias Aplicadas ao Zoneamento Sazonal da Umidade de Equilíbrio da Madeira em Rondônia, Brasil

Adriano Reis Prazeres Mascarenhas, Denise Schineider Ghilardi, Rafael Rodolfo de Melo
2020 Anuário do Instituto de Geociências  
A interação com ar atmosférico resulta na adsorção ou perda de umidade espontânea pela madeira até que se tenha pressão de saturação de vapor de água no ar sob determinada temperatura, esta condição denomina-se Umidade de Equilíbrio da Madeira (UEM), que depende das condições climatológicas de cada região e/ou época do ano. Com isso, as oscilações de temperatura e umidade ocasionam alterações dimensionais e defeitos no material. Sendo assim, o zoneamento e sazonalidade da UEM são fundamentais
more » ... processamento e aplicação da madeira, nesse contexto inserem-se as geotecnologias, que facilitam a obtenção destes parâmetros com considerável precisão, principalmente em locais com carência na obtenção de dados climatológicos, onde a madeira tem elevada importância econômica, como é o caso do Estado de Rondônia. Objetivou-se realizar o zoneamento sazonal da UEM em 8 municípios do Estado de Rondônia (3 ao norte, 1 ao sul, 2 a leste e 2 a oeste). O clima da região caracteriza-se por apresentar temperatura média anual de 25 °C, umidade relativa do ar acima de 70%, precipitação anual de 2500 mm e estação seca de junho a setembro. A partir da Rede de Estações Meteorológicas Automáticas da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Ambiental de Rondônia e Instituto Nacional de Meteorologia obteve-se dados meteorológicos entre 2002 e 2018. A UEM foi estimada pelo método de Simpson diariamente, com posterior obtenção das médias mensais para pelo menos cinco anos analisados. Em seguida os dados de UEM foram georreferenciados e interpolados por meio de krigagem ordinária, utilizando-se o inverso do quadrado da distância (IDW), gerando-se mapas de zoneamento para todos os meses do ano. A UEM oscilou entre 10% e 21% no ano, na estação seca a variação foi entre 10,83% a 15,55%, com os menores valores em agosto. Nos meses mais úmidos a UEM variou entre 16,61% a 21,58%, com a maior média observada em janeiro. As condições ambientais durante o período seco (julho a setembro) favorecem a secagem natural da madeira serrada, por condicionarem uma secagem mais rápida. O uso de geotecnologias proporcionou o estudo da UEM em Rondônia de forma prática e dinâmica.
doi:10.11137/2020_2_119_127 fatcat:u7544rsldfezbpi66flxknumpe