Conceito Antropofagia: vanguarda e proliferação

Francine Regis Goudel
2008 DAPesquisa  
Resumo Este artigo configura-se em uma análise da busca do caráter do projeto estético nacional nas vanguardas brasileiras, especialmente do início da arte moderna no Brasil com a semana de 1922. Parte do conceito da Antropofagia, idealizado em 1928 no manifesto antropofágico escrito por Oswald de Andrade, para entender a questão de assimilação e repulsa que engloba a arte de vanguarda brasileira; trazendo assim uma reflexão sobre a legitimidade dessa arte e a legitimidade da arte produzida no
more » ... arte produzida no país ainda hoje. Palavras -chave: Antropofagia brasileira, Semana de Arte 22, Raízes do Brasil, Vanguardas brasileiras. "Só a antropofagia nos une. Socialmente. Economicamente. Filosoficamente." Assim inicia-se o Manifesto Antropófago escrito por Oswald de Andrade em 1º de maio de 1928, um vanguardista brasileiro, ensaísta e dramaturgo, tido na época como apenas um jovem intelectual filho da burguesia agrária paulistana. Publicado no primeiro número da Revista de Antropofagia do Diário de São Paulo, Oswald defendia em linhas escritas inteligentemente nocivas e com uma pitada de sarcasmo, a síntese das idéias ainda em voga pelos "modernos" de uma arte brasileira autônoma com caráter nacionalista -ainda que seis anos mais tarde da acontecida primeira semana de arte moderna que chacoalhou o circuito cultural do país. O conceito antropofágico reavivado para ser discutido na criação do caráter nacional da arte moderna brasileira vem à tona para delimitar a vontade de reconstruir os cacos de uma nação feita em retalhos e dar voz a quem só soube até então ecoar; conceito este que ao longo de quatro séculos havia se tornado um elemento embargado tanto no discurso "culto" do país, quanto dentro da própria cultura indígena, voltando como abre alas do pensamento da 1 Título do artigo de pesquisa desenvolvido juntamente com o projeto: Raízes Antropofágicas: labirintos e paradoxos na constituição formativa do modernismo brasileiro, coordenado pela Profª. Drª. Marta Martins. 2 Acadêmica do curso de Artes Plásticas com habilitação em Licenciatura -DAP / UDESC, bolsista de iniciação científica do PROBIC / CNPq, com orientação da Profª. Drª.
doi:10.5965/1808312903052008131 fatcat:j334377jkjdv5jdrgcgjsitb3q