Rios e rituais: um diálogo entre etnografias de alguns povos de Rondônia [thesis]

Antonio Pedro de Melo e Gouveia
AGRADECIMENTOS Em primeiro lugar, agradeço a minha família pelo apoio, incentivo e confiança nesta empreitada, sem eles não teria sido possível a realização deste trabalho. Agradeço a minha orientadora, Beatriz Perrone-Moisés, por ter acreditado em um projeto que parecia a princípio mirabolante e pouco objetivo, pelas diversas oportunidades de aprender sempre mais sobre antropologia, pelas críticas e incentivos sempre muito gentis, atenciosos, pontuais e precisos, pelas oportunidades de
more » ... unidades de acompanhar seu trabalho como pesquisadora e professora, todas estas experiências com toda a certeza fizeram e fazem de mim um antropólogo melhor. Esta dissertação foi realizada com o apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior -CAPES (de setembro de 2014 a setembro de 2015). A bolsa de pesquisa concedida foi fundamental para o desenvolvimento e realização desta pesquisa. A Fundação Escola de Sociologia e Politica de São Paulo, onde durante quatro anos fui aluno de graduação, a todos os professores que dela fazem ou fizeram parte, em especial a Gabriel Pugliese e Caroline Cotta Melo Freitas por terem despertado em mim a vontade de ser antropólogo, por sempre me apoiarem e pelos incentivos em continuar nesta empreitada acadêmica, a eles meu respeito, minha eterna gratidão e amizade. Aos colegas do curso de graduação em Sociologia e Política da Escola de Sociologia e Política de São Paulo que, nestes quatro anos de formação, fizeram parte desta caminhada agradeço pelas discussões, debates, trocas, piadas e conversas descontraídas. Em especial agradeço aos amigos Mariana Maia Ruivo, Bruna Adele, Malvino Bertholdo, Marcelo Lemos, Claudio Itihara, Renato Passos e Fabiana Andrade, com quem passei diversos momentos sérios e divertidos, em grupos de estudo e conversas de boteco, ambos sempre muito construtivos. Agradeço também a todos os professores do PPGAS -USP, pelas disciplinas, conversas, debates, dicas e trocas que em muito auxiliaram na construção e desenvolvimento desta pesquisa. Um agradecimento muito especial aos Professores Dominique Tilkin Gallois e Renato Sztutman que participaram mais diretamente do processo de construção e desenvolvimento desta pesquisa, seja com as disciplinas oferecidas durante o curso de mestrado, seja nas conversas mais "informais" sobre o IV desenrolar da pesquisa e especialmente pelas contribuições realizadas durante o exame de qualificação que abriram portas e iluminaram caminhos para que a pesquisa tomasse o rumo que tomou, a eles minha sincera gratidão. Aos colegas da minha turma de mestrado agradeço pelo apoio e pelas trocas neste rápido, porém intenso e construtivo caminho, que constitui o curso de mestrado. Venturosa, Luiza Ferreira e Letizia Patriarca, todos grandes amigos e pesquisadores que juntos deram suporte, além das dicas e trocas. A todos meus agradecimentos e amizade. Por último, mas não menos importante, agradeço a meus amigos que sempre me deram apoio e que durante este processo aguentaram as conversas monotemáticas e por vezes enfadonhas para aqueles que não constituem o campo acadêmico da antropologia, servindo muitas vezes como valva de escape para os momentos mais tensos do processo de construção e elaboração da pesquisa, entre eles Felipe Paiva, Jan Eckart, Márcio Novaes, Hamilton Bigatão, Daniel Hiroshi, Marcos Alexandre (Caco) e Ângelo Medeiros. V RESUMO Através da apresentação dos dados geográficos a respeito do estado de Rondônia, procuramos fixar às fronteiras do campo no qual esta pesquisa se insere, além de mostramos a relevância o potencia e necessidade da realização de pesquisas antropológicas no estado. Além dos dados geográficos apresentamos algumas considerações sobre o estado em que se encontra a antropologia sobre os povos indígenas de Rondônia, constatamos assim que apesar da grande quantidade de trabalhos realizados com estas populações indígenas existem algumas lacunas a serem preenchidas, principalmente no que diz respeito ao diálogo interno entre os trabalhos, e ainda, no que diz respeito ao dialogo entre estes trabalhos e a teoria antropológica de um modo mais geral. Deste modo, selecionamos algumas pesquisas realizadas com e sobre os povos indígenas de Rondônia, procurando estabelecer entre os trabalhos um diálogo interno. Para estabelecer este diálogo interno construímos, a partir da análise e da leitura destes trabalhos, uma comparação entre duas categorias; o ritual e a guerra. As categorias foram selecionadas com base nas leituras dos trabalhos aqui utilizados que, de uma forma ou de outra, trazem estas categorias como elemento privilegiado para os estudos das populações ameríndias de Rondônia. A escolha destas categorias permitiu ainda que, a partir da comparação entre elas, pudéssemos estabelecer um diálogo com as teorias antropológicas de um modo, digamos, mais geral. Apresentando uma comparação da utilização das categorias entre os autores, seguida pela descrição dos rituais e uma comparação dos mesmos. Para finalmente estabelecer algumas possíveis conclusões a partir das comparações e dos dados apresentados. ABSTRACT Through the presentation of spatial data on the state of Rondônia, we attempt to set the boundaries of the field in which this research is inserted, and show the relevance of the power and necessity of conducting anthropological research in the state. In addition to the geographic data we present some thoughts on the state in which anthropology is located on indigenous peoples of Rondônia, we found so despite the large amount of work done with these indigenous populations there are some gaps to be filled, especially with regard to internal dialogue between the works, and also with regard to the dialogue between these works and the anthropological theory more generally. Thus, we selected some research with and on indigenous peoples of VI Rondônia, trying to establish between jobs an internal dialogue. To establish this internal dialogue built, from analysis and reading of these works, a comparison of two categories; ritual and war. These categories were selected based on readings of the work used herein that in one way or another, bring these categories as a privileged element in the study of Amerindian populations of Rondônia. The choice of these categories still allowed, based on the comparison between, we could establish a dialogue with the anthropological theories in a way, i would say, more general. Presenting a comparison of the use of categories among the authors, followed by the description of rituals and a comparison of them. To finally establish some possible conclusions from the comparisons and the data presented.
doi:10.11606/d.8.2016.tde-15032016-161949 fatcat:y55kcdoudjhvtbomcgej2s25ii