O POVO DE GEOGRAFIA E A POLÍTICA DE CURRÍCULO: TRADUÇÃO E ORIGINALIDADE

Hugo Heleno Camilo Costa
2014 Periferia  
RESUMO Neste texto discuto as políticas de currículo para Geografia no nível médio, focalizando a tensão entre os discursos do currículo integrado com o disciplinar pela via do significante interdisciplinaridade. Baseados em análises de documentos curriculares oficiais e entrevistas realizadas com lideranças acadêmicas envolvidas na produção de tais textos, ressalto processos de tradução desencadeados pelas subjetivações constituídas nas articulações que garantem determinadas fixações na
more » ... fixações na política. Destaco os processos articulatórios produzidos nessa política e as vias de negociação de diferentes identificações com discursos oficiais, também considerados hegemônicos. Penso tais dinâmicas a partir da teoria do discurso, de Laclau; do pensamento desconstrucionista, de Derrida; e dos estudos que Lopes vem realizando desses aportes para o campo de pesquisa em Políticas de Currículo. Busco conceber as articulações como não subordinadas a condicionantes históricos, corporativos, científicos, disciplinares ou a partidarismos políticos, mas como respostas ao que, contextualmente, passa a ser considerado uma ameaça. Palavras-chave: Políticas de currículo; ensino de Geografia; subjetivação; integração curricular; pós-fundacionismo. THE GEOGRAPHY PEOPLE AND CURRICULUM POLICY: TRANSLATION AND ORIGINALITY ABSTRACT In this paper I discuss curriculum policies for Geography at the secondary level, focusing on the tension between the discourses of the integrated curriculum with the disciplinary through significant interdisciplinarity. Based on analysis of official curriculum documents and interviews with academic leaderships involved in the production of such texts, emphasize that translation processes triggered by subjectivities formed in the articulations that guarantee certain fixations in policies. Highlight the articulation processes produced in that policy and ways for negotiation of different identifications with official discourses, also considered hegemonic. I think such dynamics from the discourse theory, of Laclau; the deconstructionist thought, of Derrida; and from studies that Lopes has been making from these contributions to the field of research in Curriculum Policies. Seek conceive the articulations as not subject 1 Doutorando em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (ProPEd/UERJ) e professor substituto da Faculdade de Educação da UERJ, bolsista da Faperj.
doi:10.12957/periferia.2014.17253 fatcat:bf7alrh7ofgljictl7oitxtkqe