Influência da espessura de dentina, da constrição apical e do diâmetro do forame apical na precisão de leitura com localizadores foraminais eletrônicos [thesis]

Fernando Accorsi Orosco
Em janeiro de 2003, com certa vergonha, eu disse ao meu pai que gostaria de fazer um curso de especialização em Bauru. Vergonha porque desde a 6ª. série eu havia estudado em escolas particulares, incluindo a universidade, e o suporte financeiro para a realização do curso teria que vir dele. Meu pai, que eu sempre admirei pelo esforço, dedicação e competência na sua profissão, mandou-me fazer a prova para ingressar no curso, pois, segundo ele, o conhecimento era o maior bem que ele poderia me
more » ... e ele poderia me deixar. E, assim, no dia 23 de fevereiro de 2003, um domingo, eu chegava a Bauru para começar o curso de especialização em Endodontia na FOB-USP. Lembro-me de que minha mãe chegou a Bauru no dia seguinte, para me ajudar com a mudança e deixar tudo pronto para a minha "nova vida". No sábado, quando nos despedimos na rodoviária, recordo-me de vê-la chorando dentro do ônibus que partia, e tenho viva em minha memória a caminhada que fiz da rodoviária até a FOB, também chorando muito, pois eu sabia que a saudade, agora, seria a maior companheira que eu teria. Só fui rever meus pais seis meses depois, quando tivemos um intervalo maior entre um módulo e outro e, também, porque a passagem aérea São Paulo/Fortaleza/São Paulo nunca foi muito barata. Terminada a especialização, em 2004, eu deveria ter voltado para casa, mas a convivência com os professores e com os pós-graduandos da época despertou em mim o interesse por seguir tal caminho. Assim, mais uma vez com bastante vergonha, pedi aos meus pais para continuar em Bauru, agora para cursar o Mestrado. A minha estadia, que era para ser de apenas 13 meses, já se encaminhava para, pelo menos, 5 anos, já que o Mestrado começou em 2005. Durante esse tempo, muitas vezes achei que iria desistir. Quantos aniversários eu havia passado sozinho!! Quantos dias dos pais e das mães eu não pude passar com os meus! Até a formatura da minha irmã, Tatiane, eu acabei perdendo. Será que tal sacrifício valeria a pena? Mas a força que vinha da família, mesmo distante, fazia com que eu continuasse. E Deus, na Sua imensa bondade, passou a mudar o rumo da minha vida quando conheci a Rê, já no final de 2005. A amizade virou namoro em 2006, noivado em 2008 e casamento em 2009. Em meio a tudo isso, o Doutorado, que começou em 2007. Graças a Deus, em 2006 meus pais voltaram a morar em Jundiaí, minha cidade natal, e minha irmã retornou em 2008. A distância ficou bem menor, mas a saudade permanece igual à do meu primeiro dia sozinho em Bauru. Uma Pequena Reflexão Hoje, não estou mais sozinho! Aliás, nunca estive! Sou grato por tudo o que aconteceu nesses 7 anos e 9 meses vivendo nessa cidade que eu aprendi a gostar e que me marcou com momentos muito importantes e felizes. Daqui para frente, eu não sei o que Deus nos reserva, mas não tenho dúvidas de que as pessoas que estiveram comigo durante todo esse tempo (minha esposa, meus pais, minha irmã, minha família) estarão sempre ao meu lado, seja em Bauru, em Jundiaí, enfim, onde eu tiver que cumprir a missão a qual me propus que é levar às pessoas interessadas um pouco daquilo que o meu pai me disse que seria o maior bem que poderia me deixar, o conhecimento. Agradecimento Especial AGRADECIMENTO ESPECIAL A DEUS, Hoje, mais uma etapa da minha vida chega ao final, e isso só foi possível porque o Senhor sempre esteve ao meu lado, não me deixando esmorecer mesmo quando eu duvidava que esse dia realmente fosse chegar. Sou grato pela vida e pelas oportunidades que o Senhor me ofereceu e, também, por todas as adversidades que surgiram durante essa minha jornada, porque graças a elas eu pude aprender verdadeiras lições para me tornar um homem melhor. Obrigado por se lembrar sempre de mim, mesmo quando eu, na minha ignorância, esquecia-me do Senhor, ou só me recordava nos momentos difíceis. Que eu seja capaz de, por meio da minha conduta, honrar o Seu nome. SENHOR, OBRIGADO POR TUDO! Dedicatória DEDICATÓRIA Ao amor da minha vida, minha esposa RENATA, Rê, a nossa história começou quando eu ainda estava no Mestrado, e o Doutorado era algo distante. Quando essa nova etapa chegou, você esteve ao meu lado em todos os momentos. Quantas vezes você deixou de fazer coisas suas, ou saiu correndo do trabalho, para poder me ajudar!! Quantas vezes me viu voltar para casa com os olhos cheios de lágrimas, achando que eu não era capaz, e você, com todo o carinho, estava ali para me confortar. Como agradecer a paciência e a tolerância que você teve comigo? Seu amor incondicional e carinhoso foi o meu alicerce para seguir em frente. Hoje, tudo o que faço é pensando em vê-la feliz, pois a sua felicidade é a minha também. Eu tenho muita sorte por poder passar o resto da minha vida ao seu lado. Amo você com todas as minhas forças!! Obrigado por tudo. Ao meu pai, JOSÉ OROSCO, Papai, um dos meus maiores sonhos sempre foi ser motivo de orgulho para você porque, para mim, você é e será sempre motivo de orgulho. Eu o admiro muito!! Espero ser para os meus filhos, quando os tiver, o exemplo de pai que você é para mim. Graças ao seu esforço, ao seu trabalho e à sua dedicação, eu pude buscar a realização dos meus sonhos. Obrigado por fazer a minha caminhada nessa vida a mais suave possível. Amo você, papai! À minha mãe, ARLETE, Mamãe, você me apoiou em todos os momentos da minha vida. Esteve ao meu lado, compartilhando comigo as alegrias e as tristezas. Eu também a admiro muito pela dedicação que você tem com a família, por querer sempre a nossa felicidade, pelo carinho e pelo amor que você tem por todos nós. Obrigado por deixar a minha vida repleta de alegria. Amo você, mamãe! A VOCÊS, DEDICO ESPECIALMENTE ESTE TRABALHO! Dedicatória DEDICATÓRIA Ao meu orientador, Prof. Dr. IVALDO GOMES DE MORAES, Professor, foi uma honra tê-lo como orientador no Mestrado e no Doutorado, porque eu pude aproveitar todos os momentos em que conversamos para enriquecer a minha vida profissional. Mas, além disso, os seus conhecimentos e suas experiências me serviram como lições de vida. Admiro demais a sua humildade e a sua simplicidade; admiro o fato de o senhor tratar a todos da mesma maneira, e acredito que esse deve ser um dos motivos pelo qual todos gostem tanto da sua companhia. Sou muito grato por poder chamálo de amigo. Obrigado por tudo! MEU SINCERO MUITO OBRIGADO! Agradecimentos AGRADECIMENTOS À minha querida irmã Tatiane, que eu amo muito. Tati, eu espero que você possa realizar todos os seus sonhos e que seja muito feliz; saiba que pode contar sempre comigo. Aos meus avós Cesário (in memorian), Margarida (in memorian) e Duílio (in memorian), que não viveram o suficiente para me ver chegar até aqui, mas, com certeza, estão olhando por esse neto onde quer que estejam. A minha avó Olga, que me acolheu carinhosamente durante o meu período de cursinho e sempre torceu pelo meu sucesso. Luisa, além da Laura, que chegará em janeiro de 2011. Obrigado pelo apoio de vocês e por fazerem das minhas idas à Jundiaí momentos muito felizes. Aos meus sogros, Eduardo e Lígia. Eu serei eternamente grato pelo carinho com o qual vocês me receberam, pelo apoio que sempre me deram e por torcerem muito pelo meu sucesso. Por entenderem que, às vezes, a minha ausência nos almoços de domingo foi necessária para que eu conseguisse concretizar a realização de mais essa etapa da minha vida. Aos meus cunhados, Rafael e Paula, ao meu sobrinho Felipe e à minha sobrinha e afilhada Valentina, pelos momentos de alegria que passamos juntos e pelo carinho. MEU ETERNO AGRADECIMENTO! Agradecimentos AGRADECIMENTOS Aos professores doutores Clóvis Monteiro Bramante, Roberto Brandão Garcia, Norberti Bernardineli e Alceu Berbert, por me darem o privilégio de aprender com vocês. Ao Prof. Dr. Cláudio Maniglia Ferreira, que despertou em mim o interesse e a paixão pela Endodontia durante o meu curso de graduação na UNIFOR. O senhor é o exemplo de professor que eu pretendo ser: generoso, simples, dedicado, preocupado com o aprendizado do aluno. Obrigado por ter me ajudado a chegar até aqui! Ao Prof. Dr. Marco Antônio Hungaro Duarte, pela amizade, pelo grande apoio na realização deste trabalho e por se colocar sempre à disposição para me ajudar e para esclarecer minhas dúvidas. Ao Prof. Dr. Paulo Martins Ferreira, pela confiança, pela oportunidade oferecida, pela amizade e por tudo o que fez por mim. Espero, um dia, retribuir a sua generosidade, mas saiba que a minha gratidão será eterna. Aos meus colegas de Doutorado, Lívia, Ronan e Bethânia, que compartilharam comigo seus conhecimentos, suas experiências, e contribuíram para o meu crescimento profissional. À D. Carminha, Fernanda, Renata e Guilherme, que sempre me trataram com muito carinho. A todos os pós-graduandos da FOB-USP que eu tive o prazer de conhecer e com os quais pude aprender um pouco mais, em especial aos mestrandos em Endodontia Thaís, Elaine, Paloma, Raquel, Marina, Clarissa, Bruno, Aldo e Marcelo, além do Ronald, que agora faz parte do Doutorado. Nélson e Alcides, por toda a atenção, a dedicação e o carinho demonstrados durante todos esses anos. Agradecimentos À FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE BAURU, da Universidade de São Paulo, na pessoa do seu Diretor, Prof. Dr. José Carlos Pereira. À COMISSÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO da Faculdade de Odontologia de Bauru, na pessoa de seu Presidente, Prof. Dr. Paulo César Rodrigues Conti. Às funcionárias da Pós-graduação da FOB-USP, em especial a LETÍCIA, pela paciência em me auxiliar a resolver os problemas que todo pós-graduando arruma e pela solicitude com que sempre me atendeu. Aos funcionários da Biblioteca da FOB-USP, por todo o apoio na realização deste trabalho. Ao Prof. Dr. José Roberto Pereira Lauris, pelo auxílio na realização da análise estatística. À CAPES, pela concessão da bolsa de estudos, que tornou possível a realização deste trabalho. Resumo RESUMO Este trabalho teve como objetivo avaliar a influência da espessura de dentina radicular apical, da constrição apical e do diâmetro do forame apical na precisão de leituras realizadas com os localizadores foraminais eletrônicos Mini Apex Locator ™ e Root ZX II ® . Foram utilizados 30 incisivos inferiores permanentes unirradiculados de humanos, extraídos, com raízes íntegras e ápices completamente formados e portadores de um único canal. Por meio de um paquímetro, as espessuras radiculares dos dentes foram medidas, no sentido mésio-distal a 1,0 e a 4,0mm aquém do forame apical. Após a abertura coronária, uma lima tipo K n o 10, munida de limitador de penetração, foi introduzida no canal radicular até que sua extremidade pudesse ser visualizada na altura do forame, com o auxílio de um microscópio óptico com aumento de 7,8X. Dessa medida, subtraiu-se 1,0mm, estabelecendo-se o comprimento de trabalho. A dilatação do canal radicular foi feita, inicialmente, com brocas de Gates Glidden, em ordem numérica decrescente, da número 5 até a número1, até 4,0mm aquém do forame apical. Os dentes foram fixados em um modelo experimental especialmente desenvolvido para permitir a medição com os localizadores foraminais eletrônicos. Tal modelo era constituído por dois segmentos de PVC: um de menor calibre, com diâmetro correspondente a meia polegada por 2,0cm de comprimento, com as duas extremidades abertas e outro, de maior calibre, com uma das extremidades fechada e com diâmetro interno equivalente ao diâmetro externo do primeiro segmento (3/4 de polegada). No segmento de maior diâmetro, foi feito um orifício lateral que permitiu o posicionamento do eletrodo labial do localizador foraminal eletrônico e, para a medição, no seu interior, foi colocado alginato e, então, encaixado o componente de menor diâmetro, fazendo com que o ápice radicular ficasse imerso no alginato. Foram realizadas as leituras com os localizadores, iniciando-se com a lima tipo K n o 10 e seguindo-se a seqüência de instrumentação e medida até a lima tipo K n o 130; a lima tipo K n o 10 foi utilizada em todos os diâmetros. Terminada essa fase, os dentes tiveram os canais sobreinstrumentados, isto é, a ponta da lima ultrapassou o forame apical em 1,0mm, a partir da lima tipo K n o 25 e seguindo até a lima tipo K n o 130; novas medidas foram obtidas com cada lima que sobreinstrumentou o forame e a lima n o 10 foi utilizada em todos os diâmetros. Em todos os casos o canal radicular estava preenchido com hipoclorito de sódio a 1%. Para a análise estatística foram empregados os testes de Análise de Variância a dois Resumo critérios e de Tukey. Os resultados indicaram que as variáveis capazes de influenciar a recisão das leituras com os localizadores foraminais eletrônicos foram a eliminação da constrição apical com o consequente aumento do diâmetro do forame apical, ao contrário da espessura da parede dentinária do canal radicular, que não interferiu significativamente na precisão das leituras. Palavras-chave: Espessura dentinária. Constrição apical. Diâmetro do forame apical. Localizador foraminal eletrônico. Abstract ABSTRACT Influence of dentin thickness, apical constriction and diameter of the apical foramen in the accuracy of readings with electronic apex locators. This study evaluated the influence of the apical root dentin thickness, apical constriction and diameter of the apical foramen in the accuracy of readings obtained using the electronic apex locators Mini Apex Locator ™ and Root ZX II ® . The study was conducted on 30 extracted human single-rooted permanent mandibular incisors, with intact and completely formed roots and presenting a single canal. The root thickness of the teeth was measured with a pachymeter in mesiodistal direction, at 1.0 and 4.0mm from the apical foramen. After coronal opening, a 10 K file with a stop was introduced in the root canal until its end could be observed at the level of the apical foramen, with aid of a light microscope with 7.8X magnification. One millimeter was subtracted from this measurement for establishment of the working length. Enlargement of the root canal was initially performed using Gates Glidden burs, in decreasing order, from number 5 to number 1, up to 4.0mm beyond the apical foramen. The teeth were fixated in an experimental model especially designed to allow the measurement with the electronic apex locators. This model was composed of two PVC segments: one smaller, with diameter corresponding to half inch with 2.0cm length, with both ends open; and the other, with larger diameter, with one end closed and internal diameter similar to the external diameter of the first segment (3/4 inch). In the segment with greater diameter, a lateral orifice was made to allow positioning of the lip electrode of the electronic apex locator. For the measurement, alginate was poured and the component with smaller diameter was fitted, so as the root apex was immersed in alginate. Readings were performed using the electronic apex locators, initiating with a 10 K file and following the sequence of instrumentation and measurement up to 130 K file. The 10 K file was used in all diameters. After this stage, the root canals were overinstrumented, i.e. the file tip was introduced until 1.0mm beyond the apical foramen, beginning with 25 K file up to 130 K file; new measurements were obtained with each file overinstrumenting the apical foramen, and the 10 K file was used in all diameters. In all cases, the root canal was irrigated with 1% sodium hypochlorite. Statistical analysis was performed by two-way analysis of variance and the Tukey test. The results indicated that the variables that may influence the accuracy of readings Abstract with the electronic apex locators were the elimination of apical constriction with consequent increase in the diameter of the apical foramen, different from the thickness of the root canal dentinal wall, which did not significantly influence the accuracy of readings.
doi:10.11606/t.25.2010.tde-02062011-105252 fatcat:c22me3wszney5is2xluhu6o6qy