Involução da glândula mamária durante o final da lactação e período seco de cabras Saanen: respostas de sobrevivência celular ao estresse agudo e relações com a temperatura por infravermelho [thesis]

Emanuel Manica
AGRADECIMENTOS Inicio meus agradecimentos àqueles que fizeram tudo isso acontecer, meus pais, José e Lucimar e minha irmã Eduarda, meu infinito agradecimento. Vocês sempre acreditaram em minha capacidade e me acharam o melhor de todos, mesmo não sendo. Isso só me fortaleceu e me fez tentar, não a ser o melhor, mas a fazer o melhor de mim sempre. Obrigado por tudo. Agradeço a Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da Universidade de São Paulo, pela oportunidade concedida em cursar o
more » ... dida em cursar o mestrado. A todas as cabras que contribuíram para a realização do experimento. Agradeço ao meu orientador Prof. Dr. João Alberto Negrão, por todos ensinamentos repassados e pela oportunidade de realizar o experimento em seu laboratório. A Drª. Giovana Merighe, por toda paciência e dedicação em me auxiliar no decorrer do mestrado. A minha melhor amiga Gabriela Marques Marcilli, com quem eu ri, chorei e me diverti. E por você me aguentar nesses 8 anos de amizade. Te amo muito! Ao melhor quarteto Dri, Gabi, Manu e Mel, vocês foram essenciais, me ouvindo, apoiando e muitas vezes puxando a orelha. Agradeço infinitamente! A minha amiga Natália Oliveira, que chegou a pouco em minha vida, mas fez-se presente nas horas tristes e alegres. Obrigado por tudo! Aos meus amigos do Sul, Sandro, Vandi e Dadi. Vocês que mesmo estando longe, sempre foram presente, ligando ou mandando uma simples mensagem. Vocês são essenciais para mim! A M.sc Priscila Silva dos Santos, te agradeço por todos ensinamentos, pelos incansáveis dias de manejo juntos e todo trabalho realizado com amor. Obrigado! Aos colegas e amigos M.sc Henrique Barbosa Hooper e M.sc Aska Ujita, agradeço por toda ajuda e boas risadas. E também pelos melhores Coffe Time. Agradeço a toda equipe do laboratório de Fisiologia Animal, funcionários e estagiários pelo auxílio durante o experimento e no decorrer das atividades diárias. Por fim, o meu profundo agradecimento a minha família e amigos que contribuíram para a concretização desta dissertação, estimulando-me intelectual e emocionalmente. Agradeço. "A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados." Mahatma Gandhi RESUMO MANICA, E. Involução da glândula mamária durante o final da lactação e período seco de cabras Saanen: respostas de sobrevivência celular ao estresse agudo e relações com a temperatura por infravermelho. 2018. 98 f. Dissertação (mestrado) -Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos, Universidade de São Paulo, Pirassununga, 2018. Durante a vida reprodutiva de uma fêmea a glândula mamária passa por diversas modificações. O período seco é de extrema importância para a renovação celular do tecido mamário para a próxima lactação, ocorrendo, nessa fase, intensa apoptose nas células epiteliais mamárias. Com isso, acredita-se que os glicocorticoides podem inibir a expressão de genes relacionados à síntese de leite e síntese de proteínas do leite durante a involução mamária. Além disso, nas horas seguintes à interrupção de ordenha, as células epiteliais ainda sintetizam leite, a qual gera um acúmulo de leite na glândula mamária, aumento da pressão intramamária e pode causar a abertura do canal do teto, favorecendo a entrada de microrganismos patógenos, aumentando a temperatura superficial do úbere. Foram utilizadas cabras da raça Saanen submetidas ao processo de secagem aos 249 ± 8 dias de lactação. O primeiro estudo teve como objetivo avaliar o aumento de cortisol plasmático (via administração exógena do hormônio adrenocorticotrófico) sobre a expressão dos genes da via IGF-1R/PI3K/Akt/mTOR e proteínas do leite (LALBA, CSN2 e LF) no tecido mamário, e a composição das secreções mamárias durante o período inicial da secagem. Observou-se que o aumento do cortisol causou uma diminuição significativa na expressão relativa de IGF-1R. Porém, não apresentou efeito sobre os demais genes PI3K/Akt/mTOR e LALBA, CSN2 e LF. O período de secagem diminuiu significativamente a expressão de LALBA e CSN2 e aumentou a expressão de LF. Além disso, o cortisol aumentou significativamente a infiltração de células imunes e manteve a concentração de lactoferrina mais elevada nas secreções mamárias. Os componentes do leite não foram alterados com a administração de ACTH. No entanto, o período de secagem aumentou significativamente a porcentagem de gordura, lactose, proteína e extrato seco. O segundo estudo teve por objetivo avaliar a temperatura superficial do úbere e ocular através da temperatura por infravermelho e relaciona-las com a contagem de células somáticas durante o período de secagem. Assim, a temperatura superficial do úbere foi significativamente correlacionada com o status de saúde do úbere das cabras Saanen. Por fim, a temperatura por infravermelho detectou as alterações nas temperaturas superficiais e a suas relações com a contagem de células somáticas. Palavras-chave: Estresse. Expressão gênica. Período de secagem. Proteínas do leite. Termografia. ABSTRACT MANICA, E. Mammary gland involution during late lactation and dry period of Saanen goats: cellular survival responses to acute stress and relations with infrared temperature. 2018. 98 f. During the reproductive life of a female, the mammary gland undergoes several modifications. The dry period is of extreme importance for the cellular renewal of the mammary tissue for the next lactation, occurring, at this stage, intense apoptosis in the mammary epithelial cells. With this, it is believed that glucocorticoids can inhibit the expression of genes related to milk synthesis and milk protein synthesis during mammary involution. In the hours following the interruption of milking, the epithelial cells still synthesize milk, which generates an accumulation of milk in the mammary gland, increased intramammary pressure and can cause the opening of the roof canal favoring the entry of pathogenic microorganisms and increasing the udder superficial temperature. So, Saanen goats were submitted to the drying process at 249 ± 8 days of lactation. The first study aimed to evaluate the increase of plasma cortisol (via exogenous adrenocorticotrophic hormone administration) on the expression of IGF-1R/PI3K /Akt /mTOR and milk proteins (LALBA, CSN2 and LF) genes in mammary tissue, and the composition of the mammary secretions during the initial drying period. It was observed that increased cortisol caused a significant decrease in the relative expression of IGF-1R. However, it had no effect on the other PI3K/Akt/mTOR and LALBA, CSN2 and LF genes. The drying period significantly decreased LALBA and CSN2 expression and increased LF expression. In addition, cortisol significantly increased the infiltration of immune cells and maintained the higher concentration of lactoferrin in mammary secretions. Milk components were not altered with ACTH administration. However, the drying period significantly increased the percentage of fat, lactose, protein and dry extract. The second study aimed to evaluate the udder and ocular surface temperature through infrared temperature and correlates them with the somatic cell count during the drying period. Thus, the surface temperature of the udder was significantly correlated with the health status of the udder of the Saanen goats. Finally, the infrared temperature detected changes in surface temperatures and their relationships with somatic cell counts.
doi:10.11606/d.74.2019.tde-29042019-154437 fatcat:pzio3brpy5errcunqzoomx6fyi