Adição de lidocaína à levobupivacaína reduz a duração do bloqueio intratecal: estudo clínico randômico

Dilek Yazicioglu, Taylan Akkaya, Ercan Sonmez, Haluk Gumus
2014 Revista Brasileira de Anestesiologia  
Recebido em 13 de fevereiro de 2013; aceito em 10 de junho de 2013 Disponível na Internet em 22 de fevereiro de 2014 PALAVRAS-CHAVE Levobupivacaína; Lidocaína; Bloqueio espinhal; RTUP Resumo Justificativa e objetivo: a duração do bloqueio espinhal é uma preocupação para os anestesistas. Lidocaína intratecal em dose baixa tem efeito vasodilatador e aumenta a eliminação do anestésico local do espaço intratecal. O objetivo deste estudo foi analisar se esse efeito da lidocaína pode ser usado para
more » ... de ser usado para aumentar a resolução da anestesia espinhal com levobupivacaína. Método: após obter aprovação do Comitê de Ética e consentimento informado, 40 pacientes submetidos à ressecção transuretral da próstata foram incluídos no estudo. Os pacientes foram randomizados em dois grupos e receberam6mgde levobupivacaína + 0,3 mL de lidocaína a 2% (Grupo L) ou6,75mgde levobupivacaína + solução salina (Grupo C). O desfecho primário foi a diferença entre os grupos em relação à duração do bloqueio espinhal e a permanência na sala de recuperação pós-anestésica (SRPA). Os desfechos secundários foram a diferença entre os grupos em relação ao início e à resolução do bloqueio espinhal; eventos adversos e tratamentos também foram investigados. Resultados: a resolução do bloqueio espinhal foi mais rápida no Grupo L do que no Grupo C: 162,43 ± 39,4 min vs. 219 ± 37,3 min (p = 0,000). O tempo na SRPA foi menor no Grupo L do que no Grupo C: 109 ± 49,9 min vs. 148 ± 56,8 min (p = 0,036). Não houve diferença entre os grupos em relação à incidência de eventos adversos e tratamentos. Os grupos também foram semelhantes no que diz respeito a complicações. Cefaleia pós-punção dural (CPPD) e sintomas neurológicos transitórios (SNT) não foram observados em nenhum grupo. Conclusão: a adição de lidocaína em dose baixa à levobupivacaína hiperbárica reduz a duração do bloqueio intratecal proporcionado por levobupivacaína hiperbárica. Essa técnica pode ser usada para reduzir a duração do bloqueio espinhal em procedimentos relativamente curtos como ressecção transuretral da próstata (RTUP). Introdução A duração do bloqueio espinhal em procedimentos de curta ou média duração é uma preocupação para os anestesistas e é amplamente estudada. Doses mais baixas de http://dx.
doi:10.1016/j.bjan.2013.06.005 pmid:25456473 fatcat:hlropi6nx5c3xfdqtdbofi22sy