Oração do paranympho á turma de bachareis de 1937

Jorge Americano
1938 Revista da Faculdade de Direito Universidade de São Paulo  
Meus alumnos, quasi filhos até hontem, collegas desde hoje, amigos hontem, hoje e sempre: Vivemos juntos, de presenta e de coracáo. Entretanto, nao m e é fácil falar-vos. Conforme temos vivido mais, ou menos, ha intensidade e vigor diversos na expressáo. Quem emitte urna palavra, nunca sabe, certo, o que ella desperta nos que o ouvem. Mais que nunca, neste tempo, nao é fácil falar aos jovens. H a u m antagonismo entre as geracoes, fructo da rápida transmutado das ideas universaes. Já nao varia
more » ... saes. Já nao varia só o valor intensivo da expressáo, conforme quem a profere, mas tambem o qualitativo, conforme as coisas a que se applica. Si entáo, os mocos que nos ouvem sao juristas, difficilimo é falar-lhes: Cada u m é urna accusacáo viva ás geracoes que, organizando jurídicamente o mundo, nao lhe imprimiram urna feicáo coherente, ordenada e pacifica. Querendo ouvir de m i m a oracáo de despedida, a honra que m e destes envolve a interpellacáo anciosa sobre as directrizes que deveis seguir.
doi:10.11606/issn.2318-8235.v34i1p333-340 fatcat:h7midpk2mjb5jo6wxjxufeop6a