QUALIDADE DA INFORMAÇÃO CONTÁBIL E GOVERNANÇA CORPORATIVA: Uma análise da produção científica internacional

Adhmir Renan Voltolini Gomes, Udo Straussburg, Gilmar Ribeiro de Mello
2019 Revista de Governança Corporativa  
RESUMO O presente estudo objetivou analisar o atual estágio da pesquisa referente a qualidade da informação contábil relacionada com governança corporativa no âmbito internacional. Para tal, foi realizada uma análise temporal de publicações e citações, referências mais citadas e sociométrica dos artigos mais citados e, além disso, foram abordadas as leis bibliométricas de Bradford, Lotka e Zipf. A base de periódicos selecionada foi a WEB OF SCIENCE, não foi realizado corte temporal, assim, o
more » ... mporal, assim, o limite temporal é o estabelecido pela base. As palavras-chave pesquisadas foram "Quality of information" em qualquer parte do artigo, em seguida, foi filtrado nos resultados as que continham "Governance" em qualquer parte do artigo. Dentro desses parâmetros, foram encontrados 1.453 artigos sobre o tema, sem realizar exclusões. A análise foi elaborada com auxílio de planilhas eletrônicas e com os softwares bibliométricos VOSviewer e Ucinet 6. Nos resultados, ficou evidenciado que o tema atingiu mais de 100 artigos publicados por ano após 2010. Em 2015 e 2016 as publicações ultrapassaram a marca de 200 por ano e, até julho de 2017, totalizaram 98 publicações. Quanto à Lei de Bradford, os artigos foram classificados em cinco zonas. Sendo o núcleo composto por apenas 6 periódicos, mas com a produtividade de 290 artigos sobre o tema, corresponde a 19,96% do total de publicações. E quanto à Lei de Lotka, a proporção de autores que publicaram apenas uma obra é de 82,17% e, quando soma-se a quantidade de autores que publicaram apenas duas obras, o percentual alcança 94,49%. Quanto à Lei de Zipf, denota-se que Auditor é o termo mais recorrente, 199 vezes, e System com 164 ocorrências é o segundo. Em terceiro com 124 ocorrências, está o termo earnings management. A governança está relacionada a qualidade em outra densidade, porém detém proximidade com o termo Disclosure quality, Information asymmetry e ownership structure. Na abordagem sociométrica, o artigo que detém o maior nó refere-se aos autores Leuz, Nanda e Wysocki (2003) relacionado ao gerenciamento de resultados e proteção dos investidores. A contribuição deste estudo refere-se à descrição de um tema de pesquisa amplo, com o intuito de nortear futuras pesquisas voltadas ao tema. Palavras-chave: Governança corporativa. Qualidade da Informação Contábil. Análise Bibliométrica. INTRODUÇÃO A proteção dos investidores em relação a expropriação dos recursos por integrantes corporativos detêm efeitos significativos no desenvolvimento e na eficiência dos mercados de capitais, no custo do capital e, por consequência, no desenvolvimento econômico e financeiro. Assim, a proteção dos investidores pode determinar o desempenho econômico, que por sua vez, relaciona-se de forma positiva com a qualidade da informação contábil. Assim, o papel da governança da informação contábil financeira pode detectar efeitos econômicos (Bushman & Smith, 2001). Destarte, deter o controle efetivo de uma empresa também permite determinar como os lucros serão compartilhados entre os acionistas. Mesmo que os acionistas minoritários tenham direitos ao fluxo de caixa correspondente de seus investimentos, eles enfrentam a barreira da incerteza do seu direito, pois o detentor do controle, de forma oportunista, pode restringir esses direitos. Além disso, o acionista também pode exercer a expropriação propriamente dita, por meio de atingir objetivos que não maximizam lucro em barganha por interesses pessoais. Assim, o aumento da propriedade pode fortalecer os gestores, pois assim, estão cada vez menos expostos à governança (Fan & Wong, 2002). Entretanto, muitos gestores podem usar acréscimos discricionários para melhorar os relatórios da empresa, diminuindo a incerteza da informação contábil. Porém, as consequências do mercado de capitais em relação as diferenças de qualidade para o risco da informação, demonstra-se um risco que não pode ser diversificado (Francis, LaFond, Olsson, & Schipper, 2004) . A qualidade da informação contábil, por sua vez, influencia o custo de capital da empresa de forma direta e indireta. A direta afeta a percepção em relação a
doi:10.21434/rgc.v6i1.56 fatcat:5xqzpebhaje2hgvku5znvqsvia