AMOBILIDADE BRASILEIRA COMO ETANOL DE SEGUNDA GERAÇÃO

Décio Magioli Maia, Antonio Carlos Scardini Villela, Guilherme Bastos Machado, Juliana Belincanta, Miguel Andrade, Franck Turkovics
2014 Anais do XXII Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva   unpublished
RESUMO A elevada disponibilidade de biomassa ligno-celulósica residual no Brasil apresenta potencial para importante incremento na produção de etanol. A obtenção de etanol a partir do bagaço de cana (etanol de segunda geração-2G) aumentará substancialmente o rendimento deste combustível por tonelada de cana processada.
doi:10.5151/engpro-simea2014-48 fatcat:cexl5dknuzbqxeysfa5ex6rjyi