OTIMIZAÇÃO DE PROCESSO BIOTECNOLÓGICO UTILIZANDO RESÍDUO DA INDÚSTRIA CERVEJEIRA NA PRODUÇÃO DA ENZIMA TANASE

Ester Helena Alves, Suelene FS Bispo dos Santos, Priscila Hoffmann Carvalho, Vania Battestin Wiendl
2020 Revista UniVap  
Os resíduos agroindustriais são produzidos em grandes quantidades a partir do beneficiamento e industrialização de alimentos. O descarte desses resíduos no meio ambiente pode resultar em uma série de transtornos para o ecossistema, devido à sua rica composição em matéria orgânica. Diante desse cenário, o reaproveitamento dos resíduos industriais é uma alternativa viável para a diminuição dos impactos ambientais causados pelo descarte inadequado e atendimento das exigências legais referentes à
more » ... gais referentes à destinação final dos resíduos produzidos. Neste contexto, destaca-se a indústria cervejeira, cuja produção inclui etapas de processamento e fermentação de matéria-prima vegetal, gerando resíduos caracterizados por composições que apresentam significativo potencial para aplicação em tecnologias de bioprocessos através de rotas biotecnológicas sustentáveis. Dentre vários metabólitos de interesse industrial, a enzima tanase vem se destacando no cenário nacional devido a sua capacidade de produzir antioxidantes utilizados na indústria química, farmacêutica e alimentícia. O trabalho objetiva a otimização do meio de fermentação sólida para produção desta enzima utilizando resíduos da indústria cervejeira. Para isso, os resíduos foram padronizados e submetidos ao processo fermentativo, onde foram estudadas diversas variáveis da rota de produção do composto. Assim, como principal resultado, destaca-se o aumento da atividade enzimática, que passou de 0,04 U/mL para 0,19 U/mL após os ajustes do agente extrator, umidade do meio fermentativo, tempo de incubação e pH, concentração do agente indutor e temperatura e pH do meio reacional. Portanto, foram estabelecidos os melhores padrões para otimização do processo, reafirmando o resíduo da indústria cervejeira como um ótimo substrato para produção de biomoléculas.
doi:10.18066/revistaunivap.v26i52.2471 fatcat:nqkvrsdambhfnb6revn7vtx6nm