Cadmium effect on shrimp ammonia excretion (Farfantepenaeus paulensis) at different temperatures and levels

Edison Barbieri, Adriana Carreira-Ferreira, Karina Fernandes Oliveira-Rezende
2017 Pan-American Journal of Aquatic Sciences   unpublished
Considered a highly toxic environmental pollutant, cadmium (Cd) is capable of causing a number of changes in metabolic activity in most aquatic organisms. However, the evaluation of ammonia excretion after exposure to Cd has not been previously studied in Farfantepenaeus paulensis, an important commercial species. The objective of this work was to evaluate the effects of different cadmium (Cd) concentrations on F. paulensis ammonia excretion at three different salinity levels and temperatures.
more » ... and temperatures. For this, shrimp were submitted to ammonia excretion measurement in each of the four Cd concentrations (control, 0.1, 0.5, 1.0 and 2.0 mg L-1) at three salinity levels (36, 20 and 5) and three temperatures (25 °C, 20 °C and 15 °C). Cd was significantly more toxic at salinity 5 than 20 and 36. At the highest employed Cd concentration (2.0 mg L-1), salinity 5 and temperature of 25 °C, ammonia excretion increased 95% in relation to the control group. The results also show that Cd is more toxic to F. paulensis at lower salinity levels. The importance of the findings, for biology, of the species close to the sources of Cd, is discussed. Resumo. Efeito do Cádmio na excreçao de amðnia de camarâo (Farfantepenaeus paulensis) em diferentes temperaturas e salinidades. Considerado um poluente ambiental altamente tóxico, o cádmio (Cd) é capaz de causar uma série de alterações na atividade metabólica na maioria dos organismos aquáticos. Porém, a avaliação da excreção de amônia após a exposição ao Cd não foi estudado anteriormente em Farfantepenaeus paulensis, uma importante espécie comercial. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos de diferentes concentrações de cádmio (Cd) sobre a excreção de amônia de F. paulensis em três diferentes salinidades e temperaturas. Para isso, camarões foram submetidos a mensuração de excreção de amônia em cada uma das quatro concentrações de Cd (controle; 0,1; 0,5; 1,0 e 2,0 mg L-1) em três salinidades (36, 20 e 5) e três temperaturas (25 °C, 20 °C e 15 °C). O Cd foi significativamente mais tóxico à salinidade 5 do que 20 e 36. Na concentração de Cd mais alta empregada (2,0 mg L-1), salinidade 5 e temperatura de 25 ° C, a excreção de amônia aumentou 95% em relação ao grupo controle. Os resultados também mostram que Cd é mais tóxico para F. paulensis em salinidades mais baixas. A importância dos achados para a biologia das espécies próximas às fontes de Cd é discutida.
fatcat:igvlq6fbgvg6fk2bgqve7oa2ba