Does the good man do injustice voluntarily? In defense of Plato's Lesser Hippias

Konstantinos Stefou
2012 Letras Clássicas  
Uma questão básica ainda se coloca aos leitores do Hípias menor de Platão: como lidar com a conclusão final do diálogo, de que o homem bom pratica a injustiça voluntariamente, que parece profundamente inconciliável com o princípio atribuído a Sócrates de que "ninguém erra de propósito". Contudo, se investigamos o texto mais de perto, encontramos indícios de que o posicionamento de Sócrates não é nem paradoxal nem contraditório com as posições filosóficas que ele estabelece nas outras obras de
more » ... s outras obras de Platão. Ao contrário, o diálogo chega a uma conclusão definitiva. O homem justo se recusa a praticar a injustiça precisamente porque ele não deseja (βούλεσθαι) fazê-lo. O conhecimento do que é bom ou ruim (em outras palavras, do que favorece ou prejudica a alma) ativa exclusivamente o desejo pelo bem e, consequentemente, o poder de produzi-lo.
doi:10.11606/issn.2358-3150.v0i16p35-60 fatcat:ujt3b65ldvbftfdl7csspoypei