Modelo de risco para mastite no pós-parto: aspectos hematológicos e bioquímicos [thesis]

Kamila Reis Santos
DEDICATORIAS Dedico este trabalho aos meus pais, Valéria e Francisco, que sempre apoiaram meus sonhos, nunca me desampararam nos momentos mais difíceis, e nunca me deixaram desistir dos meus sonhos, eles sabem que o caminho percorrido até aqui foi longo e com obstáculos, cheio de duvidas e lagrimas, mas ao meu lado, me ajudaram a superar todos. Dedico este trabalho especialmente ao meu Padrinho Célio, que sempre esteve presente nos momentos de conquistas da minha vida, e dessa vez não será
more » ... a vez não será diferente, tenho certeza que ele está olhando por mim, de um lugar muito especial, vibrando por mais essa vitória. AGRADECIMENTOS À Deus, Primeiramente, por sempre me dar forças e ajudar a superar todos os obstáculos, me guiando pelo caminho do bem, por ter me dado a oportunidade de aprender tanto nesta vida com pessoas tão maravilhosas. Aos Meus Pais, Que são meus alicerces, que me ajudaram a me tornar a pessoa que sou hoje, e por sempre terem me apoiado em todas as decisões e momentos de minha vida, muitas vezes desistindo dos próprios sonhos para tornar o meu realidade. A minha Mãe Valéria, que com sua amorosidade, me ensina todos os dias o caminho do amor, e a me tornar uma pessoa melhor, a ver a vida e as pessoas sempre pelo lado bom, ser exemplo de honestidade e humildade. Ao meu pai Francisco, também conhecido como Kevin, para os íntimos, por ser meu exemplo maior de força, pela sua amorosidade e intensa preocupação com todos os nossos passos, por todas as palavras de motivação, por todas as vontades realizadas, além de todos os galhos quebrados, como idas á FAPESP e ao banco pagar as minhas contas. Rsrs Às minhas Irmãs, Jéssica e Thais, que sempre aturaram meus ataques de estresses, e seguraram a onda nos momentos mais difíceis, cada uma delas com sua personalidade diferente contribuíram para meu crescimento durante esse processo, muito obrigada pelas louças lavadas e roupas penduradas no meu lugar. À minha Orientadora/Mãe/Guia espiritual, Eu sempre acreditei na máxima de que tudo que acontece na nossa vida tem um proposito, e que cada pessoa que passa por ela é única, e quando eu entrei pra essa família, com uma SUPER MÃE, eu tive certeza que estava no lugar certo. Não tenho palavras pra agradecer pelos ensinamentos diários, tanto profissionais quanto pessoais, pela sua confiança no meu trabalho, e na minha dedicação, obrigada pelos puxões de orelha e pelos conselhos, acho que nunca vou poder retribuir por tudo já conquistado ao seu lado. À equipe Della Libera, minha Família Cientifica, Malzoni, agradeço a cada um de vocês, pois, aprendi demais com todos, e se hoje eu cheguei até aqui foi porque cada um de vocês contribuiu para isso acontecer, e guardo com muito carinho vocês todos dentro do meu coração Ao Ferdinando Se não fosse pela sua paciência, sapiência, e boa vontade comigo, talvez não tivesse chegado até aqui, muito obrigado pelos momentos divertidos, e por aguentar meus momentos de crise, por tudo o que você fez por mim até hoje....você realmente é o cérebro. À Soraia Diniz Pelas inúmeras vezes que me socorreu com a estatística, pela paciência, e boa vontade e pela brilhante ideia, juntamente com o Ferdinando, dos modelos estatísticos, foi a cereja do bolo, segundo todos os momentos divertidos vividos, todos os churrascos, festas, todas as trocas de experiências e ideias no meio do corredor, todos os perrengues vividos em aula, as preparações de referatas...enfim, o que seria da pós graduação se não fossem os colegas? Vocês ajudaram a tornar toda essa experiência mais leve. Às meninas do laboratório Roberto Fernandes, obrigada pelos ensinamentos e pela convivência. À Elza Faquim Pela ajuda, e esclarecimento de duvidas com toda a parte de formatação da dissertação. Aos órgãos de fomento CAPES que me forneceu bolsa de estudosdurante. À Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) Pelo financiamento da bolsa (Processo FAPESP (2014/06995-7), e pelo auxílio FAPESP (2012/08982-4), possibilitando a realização deste trabalho. , que me aguentam a quase 20 anos, me apoiando nos melhores e piores momentos, sabem do amor dedicado à este trabalho, meu muito obrigado por existem na minha vida. Aos amigos de Uberaba Goltz, que se tornaram irmãos, obrigada por todos os momentos vividos, todas as histórias guardadas, e por mais esquecida que eu seja, eles sempre me lembram o quão importante e amada sou. EPIGRAFE Jamais considere seus estudos como uma obrigação, mas como uma oportunidade invejável para aprender a conhecer a influência libertadora da beleza do reino do espírito, para seu próprio prazer pessoal e para proveito da comunidade à qual seu futuro trabalho pertencer. Albert Eins Albert Eins Albert Eins Albert Einstein tein tein tein RESUMO SANTOS, K. R. Modelo de risco para mastite no pós-parto: aspectos hematológicos e bioquímicos. [Risk model for mastitis postpartum: hematological and biochemical aspects]. 2014. 97 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) -Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Objetivou-se identificar parâmetros bioquímicos, hematológicos e imunológicos, sistêmicos e locais, associados a modelo de risco de mastite bovina, da secagem ao final do período de transição da lactação subsequente, de vacas submetidas a antimicrobiano e selante na secagem. Foram utilizadas 34 vacas da raça Holandesa, divididas em três grupos: grupo controle (GC; n = 13); grupo antimicrobiano (GA; n = 10) composto animais que receberam antimicrobiano intramamário; grupo selante (GS; n = 11), composto por animais que receberam selante intramamário. Foram coletadas amostras de leite e sangue onde avaliou-se hemograma, metabolismo oxidativo de neutrófilos (NBT), imunoglobulinas, bioquímica, e CMT, contagem de células somáticas, isolamento microbológico do colostro e leite e imunoglobulinas do leite nos 60 dias que antecederam o parto (M1), no dia do parto (M2), três, sete, 15, 21, 30 dias pós-parto (M3, M4, M5, M6 e M7). Os dados foram analisados pelo software Stata utilizando um modelo de regressão logística. As variáveis foram analisadas primeiro individualmente para verificar o significado e em seguida, em combinação, para avaliar o efeito das variáveis individuais. Na primeira fase da análise, empregou-se modelo logístico para cada variável relacionada com os achados clínicos, com valores de P inferiores a 0,20 foram considerados como uma variável selecionada e passada para a próxima fase da análise. Dentro o modelo final, foram usadas variáveis selecionadas na primeira fase para desenvolver um modelo logístico multivariado em que as variáveis com P ≤0.05 foram retidas no modelo final. Foi possível identificar que alterações nos parâmetros, proteína, albumina e fibrinogênio, servem de biomarcadores associados à mastite bovina. Alterações metabólicas específicas e características do período de transição, nos parâmetros sanguíneos, sobrepõem o efeito dos protocolos de secagem empregados e, sugere-se que o perfil sistêmico da vaca o periparto está associado à mastite. Palavras-chave: Glândula mamária. Secagem. Período de transição. Resposta imune. Vacas leiteiras. ABSTRACT SANTOS, K. R. Risk model for mastitis postpartum: hematological and biochemical aspects. [Modelo de risco para mastite no pós-parto: aspectos hematológicos e bioquímicos]. 2015. 97 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) -Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Objective identify biochemical, hematological and immunological systemic and local, associated with Bovine Mastitis risk model, drying at the end of the transitional period of the subsequent lactation cows treated with antimicrobial and sealant to dry. 34 cows were used the Dutch race, divided into three groups: control group (GC; n = 13); antimicrobial Group (GA; n = 10) animals receiving antimicrobial intramamário; sealant Group (GS; n = 11), composed of animals that received intramamário sealant. Milk samples were collected and evaluated blood where blood count, neutrophil oxidative metabolism (NBT), immunoglobulins, biochemistry, and CMT, somatic cell count, microbológico isolation of colostrum and milk and milk immunoglobulins in the 60 days preceding childbirth (M1) on the day of delivery (M2), three, seven, 15, 21, 30 days postpartum (M3, M4, M5, M6 and M7). Data were analyzed by the software Stata using a logistic regression model. The variables were analyzed individually to check the meaning and then, in combination, to evaluate the effect of individual variables. In the first phase of the analysis, logistic model was used for each variable related to the clinical findings, with P values less than 0.20 were considered as a variable selected and passed to the next stage of analysis. In the final model, selected variables were used in the first phase to develop a multivariate logistic model in which the variables with P ≤ 0.05 were retained in the final model. It was possible to identify changes in the parameters, protein, albumin and Fibrinogen, serve as biomarkers associated with Bovine Mastitis. Specific metabolic changes and characteristics of the transitional period, blood parameters, overlapping the effect of drying employees and protocols, it is suggested that the systemic profile the periparto cow is associated with mastitis.
doi:10.11606/d.10.2016.tde-05102016-135442 fatcat:fhqlhcf3ljamnp5oxtebnwu3qq