OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO DE DIACILGRICEROL A PARTIR DO TRIACILGLICEROL DO ÓLEO DE PALMA EM SISTEMA SEMI-BATELADA

L. N. BRONDANI, F. CASTILHOS
2015 Anais do Congresso Brasileiro de Engenharia Química em Iniciação Científica - Cobeq IC 2015   unpublished
RESUMO -O presente trabalho tem por finalidade otimizar as vazões de água e óleo de palma de um sistema de hidrólise de triacilgicerol (TAG), em regime semi-batelada através do algoritmo estocástico Particle Swarm Optimization (PSO), bem como compreender a influência das vazões de entradas para obtenção de maior concentração do produto desejado, diacilglicerol (DAG). O modelo semi-batelada foi desenvolvido, comparado no limite de vazões (batelada) com dados da literatura e submetido a condições
more » ... bmetido a condições estipuladas para compreensão do sistema. A resolução dinâmica utilizou o artifício de patamares de tempo otimizáveis com vazões constantes, e o método de Runge Kutta. Como estratégia de otimização, otimizou-se três casos: somente vazão de água, somente vazão de óleo e vazões de água e óleo. Os resultados indicam que a vazão de óleo exerce maior influência sobre o sistema, uma vez que a desativação enzimática se torna significativa já para baixas vazões de água. O sistema semi-batelada, quando otimizado, apresentou maiores concentrações finais de DAG em comparação ao batelada presente na literatura. INTRODUÇÃO A ingestão exacerbada de óleos e gorduras acarreta riscos para a saúde. Porém os mesmos são essenciais, em pequenas quantidades, na alimentação. Os óleos comestíveis, no entanto, apresentam uma predominância mássica de triacilgliceróis, TAG, que, após sofrerem hidrólise no processo digestivo, produzem um intermediário metabólico que conduz à reconstrução do TAG nas células epiteliais e aumenta o acúmulo de gordura corporal. Alguns autores sugerem que, diferentemente do TAG, o diacilglicerol, DAG, não produz esse intermediário, o que previne a re-sintetização do TAG. Na busca por desenvolver um óleo comestível rico em DAG, destaca-se como matéria-prima o óleo de palma devido seu baixo custo de produção (LAM et al., 2009) e a sua alta produtividade por área plantada (O'BRIEM, 2003), além de ser o óleo comestível líder em produção mundial (LAM et al., 2009). Com isso, torna-se interessante a reação de hidrólise enzimática, uma vez que elimina rotas químicas e gastos elevados na purificação do alimento, do óleo de palma, reduzindo seu teor de TAG e maximizando o de DAG. Essa maximixação depende de uma série de variáveis, como por exemplo, a quantidade de água no sistema e a fração de água presente na fase óleo, o que torna a operação em batelada alimentada atrativa devido à possibilidade de controle pela manipulação das vazões.
doi:10.5151/chemeng-cobeqic2015-095-32221-244924 fatcat:hhejemkmmvcablscbm44psw3wi