Boitatá-Revista do GT de Literatura Oral e Popular da ANPOLL INSS 1980-4504 Número especial-ago-dez de 2008. "UMA ESTÓRIA DE AMOR": UM DIÁLOGO INTERCULTURAL 1

Doralice Fernandes, Xavier Alcoforado
unpublished
Introdução Guimarães Rosa caracteriza-se por escolher uma forma de escritura que subverte o cânone literário oficial. Em vários dos seus textos, a utilização da matéria oral tradicional é uma das formas de subversão. São as recriações ou incorporações da matéria popular que permitem a diluição da fronteira entre oral e escrito, erudito e popular, abrindo novos caminhos de onde vão emergir vozes silenciadas até então. Em "Uma Estória de amor", Guimarães Rosa apropria-se deliberadamente de
more » ... radamente de formas, temas, procedimentos e princípios geradores da produção, transmissão e recepção do texto oral tradicional Além de temas da oralidade, são versados também por ele procedimentos estilísticos, encaixes de gêneros e ainda a teorização do conto popular no seu processo de produção, de circulação e de recepção, o que atesta o modo consciente dessa apropriação que "vem trazer a lufada de oxigênio necessário à ecologia do sistema", como afirma Zilá Bernd (1995, p. 81). Quando a literatura erudita apreende a matéria popular cria um texto onde aparecem dois modos discursivos diferentes que se articulam, instaurando um espaço em que se instala um jogo, onde cada um dos parceiros manipula as suas peças de modo a mostrar-se na sua diferença. É ainda Zilá Bernd que chama a atenção para as vantagens dessa parceria, ao afirmar que a "tendência de assimilar o heterogêneo determinará formações híbridas, que constituem, sem dúvida, o que há de mais vigoroso na literatura brasileira." (Bernd, 1995, p.75) Ao tematizar o popular, o erudito incorpora vários procedimentos da tradição oral, operando no interior do texto popular uma desarticulação, de modo que determinados elementos da sua estrutura, ao serem rearticulados, ressurjam revitalizados, portadores de novas funções, com vistas à floração de uma linguagem que transcenda aos seus limites originais. Nesse 1 Este texto, apresentado no III Seminário Internacional Guimarães Rosa, Belo Horizonte, 2004, é uma retomada do artigo "A recriação da matéria popular em Guimarães Rosa" publicado na Revista Estudos Lingüísticos e Literários, Salvador/UFBA, v. I, n. 8, p. 75-92, 1989.
fatcat:dwfcsopsknauhlekcyxadqlgpe