A doutrina Bush e a "defesa" da democracia no cinema pós-11 de setembro

Daniel Ivori de Matos
2020 Fênix : Revista de História e Estudos Culturais  
Tratar-se-á neste artigo um dos eventos de maior repercussão neste breve século XXI, os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 nos EUA. Nota-se, inicialmente a exploração das imagens do acontecimento como um novo marco que abalou a nação e a democracia estadunidense; em seguida, o terrorismo assumiu a ordem do dia, muitos discursos políticos do ex-presidente George Walker Bush sobre o "novo" inimigo, o terrorismo, foram apropriados por vários governantes, tornando-se uma estratégia
more » ... rnacional antiterrorista, que justificaram mudanças legislativas nos EUA, impulsionaram os conflitos no Afeganistão e no Iraque, incorporando, ainda, outras discussões, referentes ao Oriente Médio e ao islamismo. Subentendesse que esse capítulo da história dos EUA é impossível de ser escrito sem as imagens, já que a espetacularização das imagens dos atentados causaram grande impacto na sociedade estadunidense. Os filmes nesse processo constituíram-se numa prática significativa, seja a favor ou contra tais embates. Inicialmente, houve o escapismo/silenciamento/estranhamento, rememorando-se conflitos importantes da história dos EUA (como a Segunda Guerra Mundial, a Guerra do Vietnã e conflitos dos EUA na África e Oriente Médio) aplicados em outros contextos, ao mesmo tempo em que Hollywood se distancia de temas ainda delicados. Visto o grande número de filmes sobre a Guerra ao Terror, tratar-se-á neste artigo alguns dos filmes que estavam alinhados a Doutrina Bush e a defesa da democracia durante o governo de George W. Bush.
doi:10.35355/revistafenix.v17i17.946 fatcat:osgjynfnozdanewb67dfxzu4rm