A segurança do paciente no processo invasivo de alta complexidade: protocolo de cirurgia segura e a importância do enfermeiro

Cristiane Aguiar Mota, Luana de Souza Silva, Priscila de Souza, Luiz Faustino dos Santos Maia, Cícero Jose da Silva
2019 ANAIS DO II SEMINÁRIO DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE   unpublished
Introdução: O indivíduo que se submete aos processos invasivos (que passa por uma intervenção cirúrgica), está exposto a vários tipos de riscos e complicações, 50% das complicações no pós-operatório, poderiam ser evitadas, e o risco de mortalidade reduzido. Ao observar a importância de reduzir o sofrimento dos pacientes e os erros médicos, ocorreu em 2002 a Assembleia Mundial de Saúde dos membros da Organização Mundial de Saúde (OMS). Criou-se a Aliança Mundial para Segurança do Paciente, e em
more » ... do Paciente, e em 2008, foi empregado no Brasil a Campanha Cirurgia Segura Salva Vidas. Um grupo de peritos internacionais agrupados pela OMS, criou o checklist um protocolo de Cirurgia Segura para o paciente. A proposta é averiguar todas as possibilidades de eventuais falhas que possam ocorrer durante o procedimento cirúrgico. Objetivo: Descrever sobre o protocolo de cirurgia segura para os pacientes nos processos invasivos e analisar a contribuição do enfermeiro na aplicação do checklist. Material e Método: Estudo de revisão da literatura, os artigos selecionados estavam disponíveis na base de dados eletrônicos SCIELO, em língua portuguesa e disponibilizados na íntegra; publicados entre 2013 e 2019, totalizando 10 artigos. Resultados e Discussão: O checklist é formado por três fases: Identificação (antes da indução anestésica), Confirmação (antes da incisão cirúrgica -pausa cirúrgica) e Registro (antes do cliente sair da sala cirúrgica). Antes da indução anestésica é feito a confirmação de dados do paciente e o seu consentimento, local da cirurgia, confirma a conexão de um monitor multiparâmetro ao paciente e seu funcionamento; avaliação de possíveis perdas sanguíneas, histórico de reação alérgica, dificuldade de ventilação ou risco para aspiração. Antes da incisão cirúrgica a equipe fará uma pausa imediatamente para realizar os seguintes passos: apresentação de cada membro da equipe pelo nome e função, o cirurgião e o enfermeiro confirma verbalmente os dados do paciente, local da incisão e qual o procedimento cirúrgico; confirmação da administração de antimicrobianos profiláticos nos últimos 60 minutos da incisão cirúrgica e se há necessidade de equipamentos radiográficos. Antes do cliente sair da sala cirúrgica, o enfermeiro confirma verbalmente com a equipe o procedimento que foi realizado, faz a contagem dos instrumentos, agulhas e compressas utilizadas, a identificação de qualquer amostra cirúrgica obtida, revisão do plano de cuidado e as providencias quanto à abordagem pós-operatória e da recuperação pós-anestésica antes da remoção do paciente da sala de cirurgia. A equipe de enfermagem presta os cuidados necessários na recuperação anestésica e no pós-operatório do paciente. Conclusão: O checklist é de responsabilidade do enfermeiro na maioria das vezes, com isso, ele tem um papel importante no processo de cirurgia segura, o enfermeiro e a equipe cirúrgica têm a atribuição de reduzir drasticamente a ocorrência de efeitos adversos. Para o paciente, o uso do checklist constitui a garantia de passar por um procedimento cirúrgico seguro e voltar a ter saúde e qualidade de vida. Palavras-chave: Enfermeiro, Checklist, Segurança do Paciente, Procedimento Invasivo.
doi:10.24281/rremecs.2019.05.27a31.iispccs2.14 fatcat:cwfssabiozditcsvj56fjtqnq4