Razão insuficiente

Mauro Halfeld, Fábio De Freitas Leitão Torres
2002 GV-executivo  
Desde o surgimento da psicanálise, sabe-se que o comportamento humano é largamente influenciado por emoções inconscientes. Por que então os adeptos da Teoria do Mercado Eficiente (TME) continuam a defender que o investidor é um ser perfeitamente racional? Há evidências da realidade do mercado de que essa hipótese é uma simplificação exagerada? Com a palavra, os estudiosos das Finanças Comportamentais.
doi:10.12660/gvexec.v1n1.2002.34753 fatcat:xw7ly64udnarvk2vlolnqa4uge