Artigo Original ESTADO NUTRICIONAL DE IDOSOS DO GRUPO FELIZ IDADE DA CIDADE DE CAPITÃO ENÉAS/MG

Renata Andrade, Kelly De Oliveira, Fonseca, Gislene Soares, Reis, Vivianne Margareth, Chaves Pereira²
2015 Revista Multitexto   unpublished
RESUMO O estado nutricional e os hábitos alimentares dos idosos são fatores de especial atenção nessa fase da vida. A alimentação do idoso oferecida com quantidade e qualidade adequada auxilia no suprimento de deficiências nutricionais e previnem a má nutrição e consequentes doenças. O objetivo deste estudo foi analisar o estado nutricional de idosos do projeto Feliz Idade através do IMC e de hábitos alimentares. Foram avaliados 80 idosos, participantes do grupo Feliz Idade da Cidade de Capitão
more » ... a Cidade de Capitão Enéas/MG. A amostra apresentou média de idade de 70,23 anos com des-vio padrão de 6,88 anos. A maior parte da amostra compreendeu mulheres, viúvos, com renda familiar de um salário mínimo, residentes em casa própria, com a família e com baixa ingestão de líquido. Segundo a classificação do IMC, a amostra classificou-se predominantemente em eutróficos. O arroz integral e o pão integral nunca foram consumidos pela amostra feminina, o oposto observado entre os representantes masculinos da amostra. A amostra que pratica atividade física relata consumir suco natural diariamente em relação aos que não praticam. Conclui-se que o estado nutricional, classificado de acordo com o IMC, encontra-se adequado para o público idoso envolvido no estudo, todavia é necessário o controle nutricional para que esse parâmetro não sofra agravos. Palavras-chave: Estado nutricional. Idosos. Alimentação. INTRODUÇÃO O envelhecimento pode ser entendido como um processo individual, cultural e social, influenciado pela interdependência de vidas, envolvendo ganhos e perdas, não podendo ser avaliado apenas pela idade, mas sim a partir de uma visão biológica, psicológica e social (FAZZIO, 2012). O Instituto Brasileiro de Geografia e Esta-tística (2010) aponta que o número de idosos no Brasil chega a 14,5 milhões, passando a repre-sentar 9,1% da população brasileira, enquanto no início da década somavam 11,4 milhões, isto é, 7,9% do total. Apesar do recente processo de envelhecimento, a população brasileira pode ser considerada uma das maiores do mundo, superando a da França, Itália e Reino Unido. Daqui a 25 anos, essa população de idosos no Brasil poderá ser superior a 30 milhões. O processo de envelhecimento populacio-nal exige cuidados especiais com a saúde, com preocupações acentuadas no combate às doen-ças. Existe uma preocupação mundial sobre a saúde do idoso, principalmente aqueles que possuem baixas condições sociais para a manu-tenção da saúde. Conhecer os hábitos alimen-tares dos idosos revela-se imprescindível na determinação de seu estado nutricional, pois esse estado nutricional e os hábitos alimenta-res são fatores de especial atenção nessa fase da vida, pois a alimentação deles, oferecida com quantidade e qualidade adequada, auxi-lia no suprimento de deficiências nutricionais, previnem a má nutrição e consequentes doen-ças (RODRIGUES, 2010). Nesse sentido, a nu-trição desempenha um importante papel, por propiciar a identificação de fatores de risco para mortalidade e desenvolvimento de diver-sas doenças nesse público (NASCIMENTO, 2011). É notório que a população idosa, em ge-ral, apresenta alterações sensoriais, como a diminuição da visão, do olfato, da audição e da gustação. Principalmente estes dois últimos afetam diretamente a nutrição desses indiví-duos, uma vez que o alimento passa a ser me
fatcat:6dhbeclzyjd4rk6oi7fvdfzjie