Ocupação e Impactos Decorrentes da Expansão Urbana da Cidade de Parauapebas, Estado do Pará

A.M.M. Furtado, F.C. Ponte
2014 Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Pará  
Resumo Localizada na mesorregião do Sudeste paraense, distando 645 km da capital Belém, a cidade sede do município de Parauapebas surgiu como um núcleo urbano planejado em função da exploração do minério de ferro na Serra dos Carajás, tendo o mesmo sido desmembrado de Marabá. Com uma população expressiva de aproximadamente 200.000 habitantes distribuídos em uma área de 10.238,7 Km2, com 50% na área urbana, hoje se revela o município de maior crescimento demográfico no estado do Pará. Seu
more » ... do Pará. Seu crescimento acelerado resultou da anexação da área de mineração que antes pertencia a Marabá e que hoje comporta a maior jazida de ferro do planeta, explorada pela CVRD (Companhia Vale do Rio Doce), onde também se explora o níquel, o ouro e o cobre. Planejada para servir de abrigo aos trabalhadores e para instalação de empreendimentos, este se tornou insuficiente para alojar o grande contingente de migrantes e que passaram a ocupar Parauapebas, cuja área urbana vem incorporando muitas áreas rurais com dezenas de invasões que vem trazendo graves problemas ambientais. Esse intenso processo de urbanização torna imprescindível o estudo de suas características morfológicas e da dinâmica espacial do meio físico com vistas a mostrar o uso e ocupação indiscriminada do solo e do sítio urbano em expansão para os compartimentos topográficos referentes à Depressão Periférica e o Planalto Dissecado do Sul do Pará, constituídos por relevos de baixos platôs, colinas e Morrotes, com amplitude altimétrica de 400 à 800 metros. A cidade surgiu no terraço do médio curso do rio Parauapebas, estando localizado na faixa de transição de domínios morfoclimáticos em planaltos e depressões revestidos por florestas. O trabalho terá como objetivo avaliar os impactos sócio-ambientais desencadeados, através da utilização de produtos orbitais e aerotransportados, visando uma apreciação sobre as áreas de riscos resultantes da expansão urbana, cuja ocupação indiscriminada vem originando conseqüências adversas.
doi:10.17553/2359-0831/ihgp.n1v1p123-134 fatcat:m6ezvc5d2nhdxf4z7eizmmk2wq