Um cronista esquecido: Francisco de Andrade e as suas obras

Rui Manuel Loureiro
2020
Na bibliografia especializada sobre a época da expansão portuguesa, aparecem de forma regular, como fontes privilegiadas de informação, diversos cronistas dos séculos XVI e XVII, e nomeadamente Fernão Lopes de Castanheda, João de Barros, Gaspar Correia, Damião de Góis, e mesmo Diogo do Couto. Mas Francisco de Andrade, ou Andrada, como também é designado, talvez por ser um autor um pouco mais tardio relativamente aos factos que narra, raramente é convocado para testemunhar. E, ao contrário de
more » ... ao contrário de vários outros cronistas da época que têm merecido estudos desenvolvidos, Francisco de Andrade tem andado bastante esquecido dos estudiosos. De facto, e tanto quanto se consegue apurar, não existe sobre Andrade nenhum estudo desenvolvido, nem nenhuma dissertação ou tese académica, apenas meia dúzia de artigos dispersos, o mais recente dos quais tem já 40 anos, pois data de 1976. 1 E contudo trata-se de um cronista -ou de um escritor, em sentido mais lato -extremamente interessante.
doi:10.34632/povoseculturas.2017.9025 fatcat:bb3d5wosznetrmt2vqmmylmjim