Estética da existência e cinismo em Foucault: a vida outra como forma de resistência ética e política

Camila Aguiar Stenico
2017 Revista Brasileira de Sociologia  
RESUMO Este artigo traz uma análise sobre a forma como a questão da resistência é tratada por Michel Foucault em suas últimas pesquisas, particularmente naquelas apresentadas pelo autor nos cursos do Collège de France a partir dos anos 1980. Com o deslocamento do foco de seus estudos para as noções de verdade (dizer-a-verdade) e de governo (condução das condutas), tomadas sempre em sua relação com a constituição do sujeito -esta uma questão permanente nas investigações foucaultianas, observa-se
more » ... ltianas, observa-se a formação de uma nova problemática, marcada por questões éticas e políticas. Nesse novo quadro de problemas, tencionamos esclarecer as possíveis relações dos temas da estética da existência e do cinismo, pensados como modo de vida, com a questão mais geral da resistência ao poder. This article presents an analysis of how the issue of resistance is dealt with by Michel Foucault in his latest researches, particularly those presented by the author in the courses of the Collège de France in the early 1980s. By shifting the focus of his studies to the notions of truth (truth-telling) and government (the conduct of conduct), always taken in relation to the constitution of the subject -which is a permanent theme in Foucauldian investigations -, a new problematic emerges, marked by ethical and political issues. In this new framework of problems, we intend to clarify the possible relations between the themes of the aesthetics of existence and cynicism, thought as a way of life, and the more general issue of resistance to power. Introdução Com a publicação dos últimos cursos ministrados por Michel Foucault no Collège de France, abriu-se a possibilidade de estudar novas questões propostas pelo autor: para além da noção de saber/poder, acompanhamos, a partir de 1978, o deslocamento teórico realizado por ele na direção das noções de verdade e de governo, sem perder de vista o problema geral da constituição do sujeito − este, sim, o grande tema das investigações foucaultianas 1 . Diante disso, o que se propõe aqui é compreender, em alguma medida, de que forma a noção de resistência se insere e se atualiza nesse novo contexto. 2
doi:10.20336/rbs.207 fatcat:3w3usj3xcvcbnblfbober4zshi