Influência de um programa de fonoterapia intensiva na fala de indivíduos com fissura labiopalatina [thesis]

Laura Katarine Felix de Andrade
AGRADECIMENTOS À minha família que me apoiou e incentivou esse passo da minha jornada, ajudando a tornar cada "Era uma vez" em um "Felizes para sempre!". Aos meus amigos que acompanharam o subir de mais um degrau, estendendo as mãos nos momentos difíceis e compartilhando os momentos de alegria. Em especial à Ana Luiza Sant'Anna, Maria Gabriela Cavalheiro, Mariane Quinalha, Mayara Prata, Tainá Chagas, Tacianne Alves e Yve Araújo. Ao meu companheiro Allan Zago, por acompanhar, apoiar, incentivar
more » ... apoiar, incentivar e entender os momentos em que não estive presente. Aos meus filhos de quatro patas, Dexter e Tobias, por me darem amor e estarem sempre perto deixando meus dias mais felizes. À Profa. Dra. Maria Inês Pegoraro-Krook, pela orientação, aprendizado e inspiração de profissional que dedica a vida à ciência. À Profa. Dra. Jeniffer de Cássia Rillo Dutka, por me acompanhar desde a graduação e ser a primeira a me mostrar e fazer surgir a paixão pela fissura palatina. Aferri e Mônica Valdemarin Lopes, por toda ajuda e aprendizado oferecido, sendo exemplos de profissionais e amigos. À grande amiga Maria Daniela Borro, por cada sábia palavra nos momentos difíceis, ajuda e amizade, sendo um exemplo de profissional, mãe e mulher. À Dra. Renata Yamashita e à Profa. Dra. Viviane Cristina de Castro Marino pelas ricas contribuições realizadas no exame de qualificação. À banca examinadora por participar e contribuir com este momento tão importante. À Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior -CAPES pelo suporte financeiro concedido, que foi de fundamental importância para o desenvolvimento deste trabalho. "Para ser grande, sê inteiro: nada Teu exagera ou exclui. Sê todo em cada coisa. Põe quanto és No mínimo que fazes. Assim em cada lago a lua toda Brilha, porque alta vive." Ricardo Reis, 14-2-1933 PFI (condição pré-PFI) e após o PFI (condição pós-PFI), para comparação. Resultados: A presença de OG, na condição pré-PFI, foi encontrada em 325 consoantes-alvo de 36 das 37 gravações, dentre as quais, na condição pós-PFI, 149 (46%) continuaram a apresentar OG e 176 (54%) não. Considerando a ocorrência de OG nas 24 consoantes-alvo das frases dos 36 pacientes, observou-se que após o PFI 5 (14%) conseguiram eliminar a OG em todas as consoantes-alvo; 4 (11%) não apresentaram mudança e 27 (75%) apresentaram redução da ocorrência de OG. Conclusão: O PFI teve influência sobre a ocorrência da oclusiva glotal na fala de indivíduos com fissura palatina, sendo esta menor após a intervenção. Palavras-chave: Fissura palatina. Fala. Fonoterapia. Avaliação. . ABSTRACT Andrade LKF. Influence of an intensive speech therapy program on the speech of individuals with cleft lip and palate. [dissertation]. Bauru: Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo; 2017. Introduction: Compensatory articulations are speech disorders due to the attempt of the individual with cleft palate/velopharyngeal dysfunction to generate intraoral pressure for the production of high-pressure consonants. These disorders happen because structural alteration and can become part of the phonological system of the individual. Speech therapy is the indicated intervention for their correction. The hypothesis of this study is that a structured intensive speech therapy program (PFI) meets the facilitating conditions for the correction of the glottal stops, which is the most common compensatory articulation in the speech of these individuals. Objective: To investigate the influence of a PFI on the occurrence of glottal stop (OG) in the speech of individuals with cleft palate. Material and Methods: Speech recordings of 37 cleft palate individuals, both genders (mean age = 19 years), were judged by three experienced speech pathologists (judges) to identify the occurrence of OG in 24 target consonants with a recurrence of the six occlusive consonants of the Portuguese Language (p, t, k, b, d, g). For the purpose of comparison, the judgements were accomplished before PFI (pre-PFI condition) and after the individuals have been undergone to the PFI (post-PFI condition). Results: Presence of OG in the pre-PFI condition was found in 325 target consonants of 36 out of the 37 recordings. In the pos-PFI condition, out of the 325, 149 (46%) continued to present OG and 176 (54%) did not. Considering the occurrence of OG in the 24 target consonants of the sentences of the 36 patients, it was observed that after the PFI 5 (14%) of them were able to eliminate the OG in all the target consonants; 4 (11%) presented no change and 27 (75%) had a reduction in the occurrence of OG. Conclusion: The PFI had influence on the occurrence of the OG in the speech of cleft palate, which reduction was smaller after the PFI.
doi:10.11606/d.25.2017.tde-29092017-175554 fatcat:l2c5obaalbfhdfxubndfx2dccu