Os desafios do tratamento percutâneo das oclusões coronárias crônicas

Áurea J. Chaves
2012 Revista Brasileira de Cardiologia Invasiva  
Chronic total occlusion is the subtype of lesions with the lowest procedural success rates, as well as the most common cause of incomplete revascularization and coronary artery bypass grafting. Their recanalization requires advanced techniques, dedicated materials, skilled operators and, usually, double arterial access, which makes the procedure more complex, increasing the chance of complications. Our goal is to characterize the most frequent complications in percutaneous treatment of chronic
more » ... eatment of chronic total occlusions in contemporary practice. Methods: We searched the PubMed/MEDLINE databases using the keywords "coronary chronic total occlusion", "complications" and "angioplasty". We followed the PRISMA recommendations. Results: Of a total of 430 references initially reviewed, 6 met the inclusion and exclusion criteria of the analysis, and accounted for the final sample. The procedural success rate was high, between 76% and 96%. The most commonly reported complications were periprocedural myocardial injury (8.6%), vascular access-related complications (2.5%), and cardiac tamponade secondary to coronary perforations (1.3%). Conclusion: Percutaneous treatment of chronic total occlusions creates a challenging scenario, with a high potential for complications. Patient selection must be focused on the anticipated benefits, and operators must be properly trained and capable of successfully conducting the procedure, recognizing and preventing potential procedural adverse events, and managing them when needed. RESUMO -Introdução: A oclusão crônica representa o subtipo de lesão com as menores taxas de sucesso de procedimento, bem como a causa mais comum de revascularização incompleta e cirurgia de revascularização miocárdica. Sua recanalização exige técnicas avançadas, materiais dedicados, operador experiente e, em geral, duplo acesso arterial, o que torna o procedimento mais complexo, aumentando a possibilidade de complicações. Objetivamos caracterizar as complicações mais frequentes no tratamento percutâneo de oclusões crônicas na prática contemporânea. Métodos: Realizou-se uma pesquisa nas bases de dados PubMed/MEDLINE, utilizando como ferramenta de busca as palavras-chave "oclusão coronária", "complicações" e "angioplastia". Foram seguidas as recomendações PRISMA. Resultados: De um total de 430 referências inicialmente analisadas, 6 preencheram adequadamente os critérios de inclusão e exclusão da análise, consistindo na amostra final. A taxa de sucesso do procedimento foi elevada, entre 76% e 96%. As complicações mais frequentemente reportadas foram injúria miocárdica periprocedimento (8,6%), complicações relacionadas ao acesso vascular (2,5%) e tamponamento cardíaco secundário a perfurações coronarianas (1,3%). Conclusão: O tratamento percutâneo de oclusões crônicas perfaz um cenário desafiador e com alto potencial de complicações. A seleção de pacientes deve ser focada nos benefícios antecipados, dispondo de operadores treinados, capazes de efetivar o procedimento com êxito, e de reconhecer, evitar e tratar as intercorrências, caso elas ocorram.
doi:10.1590/s2179-83972012000100001 fatcat:6ykfek5uczgedfufiqozloxkra