RODAS DE CONVERSA COMO DISPOSITIVOS DE REFLEXÃO E PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO SOBRE OS DIREITOS LGBT+ NO SUS [chapter]

Maria Clara Souza Brito, Luana Kamila Castilho Rodrigues, Alana Pascoal de Almeida, Felipe de Lima Sarah, Maria Paula Freire da Fonseca, Gabriela Rocha Meira de Melo Soares
2020 SAÚDE PÚBLICA NO SÉCULO XXI: UMA ABORDAGEM SOBRE POLÍTICA E GESTÃO EM SAÚDE  
PREFÁCIO Quando o Sistema Único de Saúde, concebido de um espírito inovador e igualitário, foi criado em 1988, não se dimensionava o que ele traria como contribuição e os desafios colossais que viriam. E mesmo passando por tantas situações vexatórias, o conhecido SUS, é um exemplo para outros países copiarem seu modelo de atendimento humanitário. Por mais que nos queixemos da qualidade dos serviços e do sucateamento das unidades de atendimento, sem ele a desigualdade social de nosso país seria
more » ... e nosso país seria abissal. Portanto, o deve do Estado de fornecer saúde de qualidade a todos, ainda é, por mais desumana que pareça ser, a primeira vista. Aqueles que a constituem, são pessoas que dedicam ao ponto de literalmente, dar a vida para que outros possam ser atendidos com o mínimo de dignidade. Nesse momento sanitário que a humanidade encara, muitas vidas foram salvas pelos nossos profissionais de saúde, que não se resumem apenas pelos profissionais de medicina, mas por uma área multiprofissional que vai desde a logística até a telemedicina e cirurgia robótica. Na base de toda essa máquina, com um sistema intricado e complexo, as pequenas partes deste circuito de geração de saúde, são os acadêmicos e pesquisadores que se entregam por inteiro, sem querer o devido reconhecimento por suas contribuições. E é essa perspectiva que esperamos dos leitores desta obra. A visão de que os capítulos que a compõe, são resultado de esforço e dedicação em prol da saúde. Em nossos livros selecionamos um dos capítulos para premiação como forma de incentivo para os autores, e entre os excelentes trabalhos selecionados para compor este livro, o premiado foi o capítulo 1, intitulado "Principais impasses assistenciais da atenção primária à saúde diante da pandemia provocada pelo novo coronavírus". RESUMO: Introdução: A saúde mental e física de pessoas LGBT+ é debilitada, principalmente, em decorrência do preconceito contra essa comunidade na sociedade brasileira. Essa discriminação é presente também nos meios de saúde, gerando medo e complicando a relação médico-paciente, terapêutica e tratamento de comorbidades desta população. Objetivo: Promover reflexão e conhecimento sobre os direitos LGBT+ no SUS e estimulação de ensino e pesquisas acadêmicas sobre o tema por 42 SAÚDE PÚBLICA NO SÉCULO XXI: UMA ABORDAGEM SOBRE POLÍTICA E GESTÃO EM SAÚDE Trastornos Mentales y del Comportamiento: Descripciones Clínicas y pautas para el Diagnóstico. Madrid: Meditor; 1992. Disponível em: < https://scielosp.org/pdf/resp/2004.v78n5/647-648/es >. Acesso em 13 mar. 2019. OMS. Preconceito prejudica saúde de gays, lésbicas, bissexuais e trans, alerta OMS, 1992. Nações Unidas, 2017. Disponível em: < https://nacoesunidas.org/oms-alerta-que-preconceito-prejudica--a-saude-de-gays-lesbicas-bissexuais-e-trans/amp/ >. Acesso em: 18 mar. 2019. vestis e Transexuais / Ministério da Saúde. Brasília : 1. ed., 1. reimp. Ministério da Saúde, 2013.
doi:10.47094/978-65-88958-01-8.36-42 fatcat:bu7tpzfzk5ds7pnuwi3tmiboke