DESCARBONIZAÇÃO E (IN)SEGURANÇA CLIMÁTICA: O (DES)CASO BRASILEIRO

Luan Santos
2022 Zenodo  
Com a adoção do Acordo de Paris, em 2015, o driver climático na agenda política internacional se consolidou como um dos mais importantes temas contemporâneos. São necessários esforços possíveis e urgentes de mitigação das emissões de gases de efeito estufa (GEE), com vistas a algum grau de segurança climática no futuro e de adaptação às novas e inevitáveis realidades ambientais. Em 2020, as emissões brasileiras de GEE cresceram 9,5%, enquanto no mundo inteiro elas reduziram quase 7% devido à
more » ... demia, com base nos dados do Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (IEMA). O presente artigo, portanto, busca o (des)caso brasileiro frente ao binômio descarbonização-(in)segurança climática a partir da análise de fenômenos recentes, como o crescimento do desmatamento na Amazônia e no Cerrado, a interrupção do Fundo Amazônia, bem como o problemático processo de revisão da Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) brasileira. Como recomendação, propõe-se que o Brasil repactue a sua agenda climática, realinhando-se à necessária e urgente direção global de enfrentamento às mudanças climáticas.
doi:10.5281/zenodo.6967599 fatcat:drgtrwvan5gf7awoxvzvz5fxly