O uso do transplante osteocondral a fresco no tratamento das lesões osteocondrais do joelho

Luís Eduardo Passarelli Tírico, Marco Kawamura Demange
2012 Revista Brasileira de Ortopedia  
RESuMO O tratamento das lesões condrais e osteocondrais do joelho em pacientes jovens ainda permanece um desafio para os ortopedistas. As técnicas de reparo atualmente disponíveis no Brasil, como o desbridamento, microfraturas e transplante osteocondral autólogo são insuficientes nos tratamentos de lesões condrais e osteocondrais grandes. O transplante osteocondral homólogo a fresco (TOF) na articulação do joelho vem sendo usado nos Estados Unidos com excelentes resultados. Este artigo tem o
more » ... ste artigo tem o intuito de revisar a ciência básica, indicações, técnicas cirúrgicas, possíveis complicações e descrever a técnica de transplante osteocondral homólogo a fresco na articulação do joelho realizada no ABSTRACT Treatment of chondral and osteochondral knee lesions in young patients remains a challenge for orthopedic surgeons. The repair techniques currently available in Brazil, such as debridement, microfracture and autologous osteochondral transplantation are insufficient for treating large chondral and osteochondral lesions. Fresh homologous osteochondral transplants have been used in the knee joint in the United States with excellent results. This article had the aims of reviewing the basic science, indications, surgical techniques and possible complications and describing the technique of fresh homologous osteochondral transplantation in the knee joint, performed in the Institute of Orthopedics and Traumatology, Hospital das Clinicas, University of São Paulo. Os autores declaram inexistência de conflito de interesses na realização deste trabalho / The authors declare that there was no conflict of interest in conducting this work Este artigo está disponível online nas versões Português e Inglês nos sites: www.rbo.org.br e www.scielo.br/rbort This article is available online in Portuguese and English at the websites: www.rbo.org.br and www.scielo.br/rbort
doi:10.1590/s0102-36162012000600003 fatcat:qzvw5om5qvbwja7iadeavhnjmq