Valor nutritivo do resíduo de própolis para frangos de corte

Asdrubal Viana dos Santos, Antônio Soares Teixeira, Paulo Borges Rodrigues, Rilke Tadeu Fonseca de Freitas, Antônio Marcos Guimarães, Renato Alberto Giacometti
2003 Ciência e Agrotecnologia  
Dois experimentos foram conduzidos no Setor de Avicultura do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras, com o objetivo de determinar o valor nutritivo do resíduo da própolis para a alimentação de frangos de corte. No primeiro experimento, determinou-se a energia metabolizável do resíduo da própolis, utilizando o método de coleta total de excretas, segundo metodologia de Sibbald e Slinger (1963), utilizando 16 galos adultos com peso médio de 2500 + 100 g, alojados em gaiolas de
more » ... jados em gaiolas de metabolismo. Foram utilizadas duas rações com oito repetições de uma ave. As duas rações foram: (1) ração-referência à base de milho e farelo de soja e (2) 80% da ração-referência mais 20% do resíduo da extração da própolis. O valor de energia metabolizável aparente foi de 941 Kcal de EM/kg de MS. Ainda foram encontrados, no resíduo, 19,76% de proteína bruta, 26,76% de extrato etéreo e 14,41% de fibra bruta. Na fase de 1 a 21 dias de idade, para a variável consumo de ração, não houve efeito significativo para níveis de resíduo e para a interação níveis x sexos (P>0,05); no entanto, houve efeito significativo somente para sexos (P<0,01); o ganho de peso foi significativo para níveis e para sexos (P<0,01) e não houve interação entre níveis x sexos (P>0,05). Houve aumento no ganho de peso com nível de inclusão de até 2,86% (LRP) de resíduo na ração para ambos os sexos, observando-se ainda que, nesse período, a adição do resíduo da própolis proporcionou piora na conversão alimentar para machos e fêmeas. Na fase de 1 a 42 dias para consumo de ração, houve efeito significativo para sexos (P<0,01) e para a interação níveis x sexos (P<0,05); porém, não houve efeito para os níveis de resíduo (P>0,05). houve efeito significativo somente para os machos (P<0,05) que apresentaram um consumo máximo de 4,93% (LRP) de inclusão do resíduo na ração. O ganho de peso para machos e fêmeas nessa fase decresceu linearmente e também aumentou de forma linear para conversão alimentar em ambos os sexos, com a adição do resíduo na ração. O uso do resíduo de própolis até 2,86% na ração aumentou o ganho de peso na fase de 1 a 21 dias e, na fase de 1 a 42 dias, o uso do resíduo da própolis na alimentação de frangos de corte reduziu o ganho de peso e piorou a conversão alimentar dos frangos de corte de 1 a 42 dias. Isso ocorreu provavelmente devido ao teor de fibra presente no resíduo (14,41%) e ceras (26,76%).
doi:10.1590/s1413-70542003000500025 fatcat:pj5brotqdve4di7qmzpfmvy4aa